O projeto “Smart City Concierge”, da autoria de Rui Nuno Castro, é o grande vencedor da quinta edição do Prémio José Manuel Alves / Concurso de Empreendedorismo Turístico, iniciativa do Turismo Centro de Portugal. O Concurso de Teses Académicas premiou uma dissertação sobre turismo acessível.

Os concursos de Empreendedorismo Turístico e de Teses Académicas, promovidos anualmente pelo Turismo Centro de Portugal, procuram detetar e apoiar as melhores ideias de negócios turísticos que são geradas todos os anos na região, assim como valorizar o conhecimento científico que é produzido sobre a atividade turística.

O Prémio José Manuel Alves / Concurso de Empreendedorismo Turístico distingue projetos inovadores no setor do Turismo, com implementação na região Centro de Portugal. O nome homenageia o ex-presidente da Região de Turismo do Centro, que esteve na génese da criação do gabinete de apoio ao investimento turístico na região.

Foram apresentadas 51 candidaturas a esta quinta edição, das quais foram selecionadas oito para a fase final. O júri, composto por Miguel Barbosa (Portugal Ventures), Miguel Gonçalves (GesEntrepreneur) e Miguel Mendes (Turismo de Portugal), escolheu os seguintes projetos:

1.º classificado – “Smart City Concierge, do empreendedor Rui Nuno Castro, em Coimbra. O “Smart City Concierge” é um assistente de viagem virtual. “Pode ser tão simples como só mais um contacto na sua lista de contactos com quem pode conversar, fazer perguntas sobre o que está para acontecer de interessante perto de si ou pedir dicas de viagem numa conversação normal”, explica o autor.

2.º classificado – “Museu LOAD ZX Spectrum, do empreendedor João Diogo Ramos, em Cantanhede. O Museu LOAD ZX SPECTRUM retrata a história daquele que foi para muitos o primeiro computador, o ZX Spectrum. O Museu deverá ser formalmente inaugurado a 26 de setembro.

3.º classificado – “SOUL Speaking Out Loud”, dos empreendedores Joana Pereira e Fernando Matias, nas Aldeias do Xisto. Trata-se de “uma app que assenta no mesmo princípio de um jogo de tabuleiro tradicional, cujas ‘casas’ para progredir no jogo são casas reais, edificadas, permitindo assim que o visitante/jogador conheça o património, material mas também imaterial, popular e natural, de forma imersa e interativa, no território das Aldeias de Xisto e toda a envolvente”, descrevem os autores.


Turismo acessível vale prémio no Concurso de Teses Académicas

Concurso de Teses Académicas, na quarta edição, tem o objetivo de valorizar o conhecimento gerado no seio da comunidade científica sobre a atividade turística e de o aproximar das empresas do setor do Turismo e de todos os interessados em desenvolver projetos de empreendedorismo turístico.

A quarta edição contou exclusivamente com candidaturas na categoria de Mestrado. O júri, composto por Jorge Rodrigues, Frederico Lucas e Manuel Salgado, distinguiu as seguintes Teses:

Vencedora – “O Papel da Quarta Revolução Industrial no Turismo Acessível: Estudo e Conceptualização de uma Aplicação WEB”, da autoria de Pedro Miguel Beleza Teixeira.

Menções honrosas – “Indicadores de Desempenho Financeiro na Avaliação da Performance Empresarial no Setor do Turismo: O Caso do Alojamento Local” (Cláudia Patrícia Ferraz Correia) e “Design para a Valorização do Enoturismo da Região Centro de Portugal: TWINE” (Liliana Aguiar Eusébio).