Charles Bonaparte, descendente de Napoleão Bonaparte e presidente da Federação Europeia de Cidades Napoleónicas, plantou, no passado sábado, uma oliveira na Mata Nacional do Bussaco, no âmbito das comemorações dos 210 anos da Batalha do Bussaco.

Charles Bonaparte deixou uma oliveira, árvore símbolo da Paz, na Mata Nacional do Bussaco, num ato de duplo significado: celebra o Dia da Cooperação Europeia e marca a integração do projeto europeu Interreg NAPOCTEP na Federação Europeia das Cidades Napoleónicas, cujo protocolo foi assinado ontem, no preciso dia em que passam 210 anos da Batalha do Bussaco.

“Que esta árvore perdure e simbolize a cooperação, a amizade, a fraternidade entre povos e nações e que a história não seja esquecida, mas sirva para fundar um futuro melhor para as gerações e os povos”, disse o descendente de Naopleão Bonaparte, que assinou também o livro de honra da Fundação Mata do Bussaco.

Charles Bonaparte é presidente da Federação Europeia de Cidades Napoleónicas, entidade responsável pela gestão do Destination Napoleon, um itinerário cultural europeu reconhecido pelo Conselho da Europa. O projeto Interreg NAPOCTEP – Rotas Napoleónicas por Espanha e Portugal –, liderado pela Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, visa transformar o património do tempo das invasões francesas num produto turístico de qualidade e sustentável, capaz de criar riqueza e emprego em zonas castelhanas e espanholas e no centro de Portugal ameaçadas pelo despovoamento e envelhecimento do espaço de cooperação POCTEP.

Para além de inventariar os elementos do património material e imaterial do itinerário no território, o projeto pretende estabelecer uma sinalização comum destes elementos a incluir no itinerário cultural europeu “Destination Napoleon” do Conselho da Europa.