Águeda, Geopark Arouca, Serras do Socorro e Archeira, Torres Vedras e região Oeste distinguidos pelas suas práticas de sustentabilidade.

Cinco destinos do Centro de Portugal integram a lista dos 100 Destinos Mundiais Sustentáveis de 2020. Esta lista, já na sexta edição, é elaborada anualmente pela Green Destinations, uma fundação sem fins lucrativos que se foca no desenvolvimento e reconhecimento de destinos sustentáveis em todo o mundo. O objetivo é distinguir as melhores práticas de sustentabilidade em destinos que inspirem outros locais, operadores turísticos e turistas. 

Os cinco destinos do Centro de Portugal que integram a lista são: Águeda; Geopark Arouca; Serras do Socorro e Archeira; Torres Vedras; e região Oeste. De assinalar que foram eleitos 11 destinos em Portugal, pelo que quase metade são do Centro de Portugal.

Os destinos do Centro de Portugal distinguidos este ano foram-no por motivos diferentes de sustentabilidade.

No caso de Águeda, foi distinguida a iniciativa que torna as ruas da cidade num cenário de chapéus de chuva coloridos, assim como o programa de animação AgitÁgueda Art Festival, um eco-evento com reconhecidas práticas sustentáveis.

O Arouca Geopark (que, em parte, integra o território do Centro de Portugal) foi eleito pelo valor acrescentado para as populações locais que representou a classificação do local pela UNESCO.

As Serras do Socorro e Archeira (no concelho de Torres Vedras) foram escolhidas pelo esforço na classificação do local como Paisagem Protegida, na sequência da política de desenvolvimento sustentável desenvolvida pelo município. No caso de Torres Vedras, a eleição deveu-se à rede de rotas cicláveis criada na cidade. 

Finalmente, a região Oeste foi distinguida pelas preocupações ambientais da comunidade intermunicipal que junta 12 municípios, nomeadamente na separação de lixo e outros resíduos e na educação ambiental junto de escolas e empresas.

“É com grande satisfação que vejo as práticas de sustentabilidade promovidas em diversos territórios da região Centro de Portugal serem distinguidas por uma organização internacional. As autarquias, associações e empresários do Centro de Portugal perceberam que só têm a ganhar quando apostam numa oferta turística com elevados padrões de sustentabilidade”, sublinha Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal. “A aposta no turismo sustentável é uma oportunidade real de melhorar as condições de vida dos habitantes e, ao mesmo tempo, de criar experiências memoráveis para os visitantes. O Centro de Portugal é privilegiado por ter regiões e projetos com um tão elevado nível de preocupação ambiental e de sustentabilidade”, acrescenta.

Destinos escolhidos por júri internacional

As candidaturas que chegam à Green Destinations são avaliadas por um júri internacional, composto por especialistas de vários países e parceiros da fundação. As nomeações baseiam-se em 30 critérios de sustentabilidade. 

Os 100 destinos distinguidos são convidados para as conferências anuais “Global Green Destinations Days”, onde têm a oportunidade de partilhar experiências sobre as formas que encontraram de tornar os destinos mais sustentáveis para as comunidades locais e para os viajantes. Posteriormente, integram também um guia turístico produzido para o efeito.

De acordo com a organização, “este ano a seleção foi, mais do que nunca, determinada pela qualidade, eficácia e transferibilidade das boas práticas que foram submetidas pelos destinos”