As parcas linhas dedicadas a uma atividade vital para a economia, não passam de anúncios de iniciativas anémicas, cosméticas e paliativas, quando se exigiam medidas verdadeiramente estruturantes.

Há muito por onde melhorar este Orçamento na Assembleia da República, em particular numa área tão decisiva para o futuro do país como o turismo. Os portugueses não esperam menos do que isso dos parlamentares que elegeram.

Leia na íntegra a opinião de Pedro Machado. Observador.