O presidente do Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado, considera que o plano de recuperação e resiliência para responder à crise Covid-19, tem dotações orçamentais “inaceitáveis” na distribuição dos fundos entre o Norte e o Centro, apelando ao Governo para que reveja a distribuição dos mesmos.

Pedro Machado, após consulta ao documento estratégico do Governo, onde consta a distribuição de fundos, considera “inaceitável” a sua distribuição, “onde o Norte vai ficar com 50% dos fundos, nomeadamente do [20]21-[20]27 e o Centro [com] 29%”.

“Acho que é uma discrepância inaceitável, seja ela alavancada nos indicadores, por exemplo, do desemprego. É evidente que o Norte tem mais desemprego que o Centro. Seja alavancada em indicadores como o desenvolvimento empresarial e, sobretudo, na capacidade produtiva. O Norte tem mais que o Centro, mas não tem numa relação de uma distribuição e de uma diferença percentual tão forte como aquela que nos foi apresentada”, justificou.

Saiba mais aqui.