Grandes grandes obras de arte pública embelezam o Centro de Portugal, junto ao mar, na Lourinhã e em três locais da cidade vidreira da Marinha Grande.

O artista Alexandre Farto, mais conhecido por Vhils, revelou esta segunda-feira, dia 16 de novembro, dia em que José Saramago comemoraria o 98.º aniversário, um vídeo em que aparecia a esculpir o rosto do escritor, ao mesmo tempo que as ondas banhavam a obra.

A acompanhar o vídeo nas redes sociais, Alexandre Farto publicou uma passagem do livro A Jangada de Pedra de Saramago.

Mais informação em Diário de Notícias.

Já na cidade vidreira da Marinha Grande nascem três novas obras de arte urbana, criadas no âmbito da segunda edição do Festival “Sopro: Arte Pública”.

A obra intitulada “Clarão” resulta da colaboração dos artistas Nuno Viegas, autor das mãos que detêm uma folha de papel, sobre a qual Ricardo Romero reproduziu uma fotografia de época, imagem histórica que evoca a tradição do vidro enquanto uma matéria-prima essencial para o desenvolvimento socioeconómico da Marinha Grande.

Do sopro do artesão que cria uma peça em vidro sai um pássaro, metáfora da importância do vidro e referência à natureza, que rodeia a cidade dos vidreiros.

A obra foi criada numa parede junto à esquadra da PSP da cidade.

Por sua vez, a pintura “Perseverança” embeleza a torre do quartel dos Bombeiros Voluntários da Marinha Grande e tem assinatura de Robot e Ricardo Romero.

O trabalho é um tributo aos homens e mulheres que colocam a vida em risco para combater as chamas e ajudar os outros, sem pedir nada em troca. Também nela surge um elemento surpresa: um coelho, da autoria de Ricardo Romero que remete para a memória do Pinhal do Rei.

A terceira obra também já está concluída e em exposição no Museu Joaquim Correia. Trata-se de uma escultura do artista Ricardo Romero, que será colocada na pala do Teatro Stephens no dia 20 de novembro, caso as condições climatéricas o permitam, avança a Câmara Municipal da Marinha Grande.

Leia mais em Jornal de Leiria e Região de Leiria.