Praias/Ria de Aveiro/Mira

Quantas são as passagens secretas de castelos altaneiros que escondem por entre fortificadas muralhas, torres e torreões, lendas de milagres e invasões?
Quantas são as pedras de seculares Mosteiros que se elevam às alturas e contam histórias de trágicos amores, improváveis conquistas e grandiosas vitórias?
Afinal quantas são as figuras bíblicas que espreitam do alto de coloridos vitrais de santuários, de igrejas, de capelas e ermidas? Quantas velas ardentes iluminam noites emotivas de milagrosas peregrinações?
Quantas são as festas tradicionais de danças e cantares e animados arraiais de alegres rodopiares?
Alguém sabe, dos tapetes às cestas de junco ou vime, das esteiras de bracejo à cerâmica pintada à mão, da tecelagem de mantas em tear manual à lapidação perfeita do vidro e cristal, quantas são as obras de arte que tornam real a imaginação e habilidade de artesãos e operários?
E quantos aromas de deliciosas e afamadas sobremesas, conventuais ou não, haverá? Ou de vinhos regionais, néctares divinos que acompanham sábios sabores das serras, do interior, do rio e do mar?

Os encantos do Centro de Portugal são inestimáveis, incalculáveis e infindáveis!

Uma coisa é certa, sabemos e podemos adiantar: das 352 praias portuguesas a quem a Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) atribuiu o galardão Bandeira Azul 2019, são 81 as praias costeiras e as praias interiores do Centro de Portugal que exibem orgulhosamente esta distinção.

De águas doces e de verde bordejadas, por entre nascentes, albufeiras e barragens, contam-se 26 as paradisíacas praias interiores merecidamente distinguidas.
Já as praias costeiras de areia dourada, banhadas por um mar de prata e de azul a perder de vista, são mais de cinco dezenas, 55 para melhor precisar.
Justa menção vai para a Praia de Mira, única praia do mundo a ser galardoada de novo e pela 33ª vez consecutiva.

Umas com características ímpares para a prática de desportos náuticos, outras de típicos barcos de cores vivas e proa afilada para o ritual da arte xávega, todas elas atestam a excelente qualidade de seus areais e das suas águas.

Quantos são os encantos do Centro de Portugal? Infinitos e esperam por si!

—————————————————————————————————————————-

Segundo os critérios definidos pelo programa Bandeira Azul (Informação e Educação Ambiental / Qualidade da Água /  Gestão Ambiental e Equipamentos / Segurança e Serviços), eis a lista dos galardoados em 2019, no Centro de Portugal:

 

Praias Costeiras:
Esmoriz, Cortegaça, Areinho, Furadouro, São Pedro de Maceda e Torrão do Lameiro/Mareta (Ovar); Torreira, Monte Branco e Bico (Murtosa); São Jacinto (Aveiro); Barra e Costa Nova (Ílhavo); Vagueira e Areão (Vagos); Poço da Cruz e Praia de Mira (Mira); Praia da Tocha (Cantanhede); Quiaios, Buarcos, Figueira da Foz-Relógio, Cabo Mondego, Cova Gala, Cova Gala-Hospital, Murtinheira, Tamargueira e Leirosa (Figueira da Foz); Osso da Baleia (Pombal); Pedrógão Centro (Leiria); Paredes de Vitória e São Martinho do Porto (Alcobaça); Nazaré e Salgado (Nazaré); Praia do Mar e Foz de Arelho-Lagoa (Caldas da Rainha); Baleal Norte, Baleal Sul, Cova da Alfarroba, Gambôa, S. Bernardino, Medão-Supertubos e Consolação (Peniche); Areia Branca, Areal Sul e Porto Dinheiro (Lourinhã); Santa Rita Norte, Santa Rita Sul, Navio, Mirante, Pisão, Física, Santa Helena, Centro, Formosa, Azul e Porto Novo (Torres Vedras).

Praias Interiores:
Quinta do Barco (Sever do Vouga); Lapa dos Dinheiros e Loriga (Seia); Vimieiro e Reconquinho (Penacova); Cascalheiras-Secarias, Piódão e Côja (Arganil); Alvôco das Várzeas e Avô (Oliveira do Hospital); Palheiros-Zorro (Coimbra); Peneda-Pego Escuro e Canaveias (Góis); Bogueira e Senhora da Piedade (Lousã); Louçainha (Penela); Valhelhas (Guarda); Pampilhosa da Serra, Pessegueiro, Santa Luzia e Janeiro de Baixo (Pampilhosa da Serra); Bostelim (Vila de Rei); Carvoeiro (Mação); Aldeia do Mato e Fontes (Abrantes) e Agroal (Ourém)

Embarcações de ecoturismo:
Argus e Bennu (Nazaré)