Este ano, ainda não foi possível juntar a família nos habituais almoços de domingo, nem comemorar aniversários ou assinalar dias de festa com os amigos, mas continuamos a celebrar a vida, juntos, aqui, bem no Centro de Portugal.

A região Centro de Portugal é única e garantimos que não encontrará em lado algum, uma gastronomia igual. A energia das paisagens, muitas delas com janela aberta para a serra, o rio ou para a o mar, e o aroma selvagem da natureza amalgamado com o odor fresco da maresia da costa marítima, aliados aos produtos endógenos que daqui são oriundos, são os ingredientes ideais para criar pratos únicos e cheios de sabor.

E se lhe sugerirmos que acompanhe a maior parte dos petiscos que já de seguida lhe propomos, com cerveja artesanal produzida na região…aceita o desafio?

Sabemos onde fica o coração de uma casa e é sob esse mote que lhe deixamos as melhores sugestões para se aventurar alegremente, com uma pitada de amor e carinho, pelo melhor que a nossa gastronomia oferece.

Homemade with Love!

1| Ria de Aveiro

O pão continua a ser um elemento essencial à mesa tradicional portuguesa. Bem cozido, mal cozido, caseiro ou não, a primeira sugestão que lhe deixamos, é o Pão de Vale de Ílhavo. Já lhe apresentámos algumas receitas para pôr as mãos à obra neste confinamento, mas deixamos-lhe aqui uma outra alternativa não menos deliciosa. Aprenda a fazer as padas Vale de Ílhavo, com a D. Francelina.

E porque Ria de Aveiro rima com gastronomia, aqui encontramos as iguarias locais mais apetitosas, cuja origem remonta à tradição da gastronomia de bordo. Da riqueza das águas chegam os melhores prazeres gastronómicos, doces ou salgados, do Vouga ao Atlântico. Iguarias muito típicas e oriundas destas águas são as enguias, na Caldeirada de Enguias à moda de Aveiro, para além da Cataplana de Peixe e Marisco. Não deixe de experimentar e fascinar os seus convidados com estas sugestões de fazer crescer água na boca!

Desde sempre apreciada pelas populações ribeirinhas do nosso país como já referimos, a enguia da Ria de Aveiro, deu origem a diversas variantes de pratos de enguias. As Enguias em molho de escabeche é um petisco absolutamente divinal. E porque não seguir os conselhos da Young Chef  Catarina Lobão, aluna da Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, e fazê-lo hoje mesmo?

Aveiro é também a “região do bacalhau”. Aqui ninguém se fica pela posta, pois é comum aproveitar-se todas as partes do bacalhau em pratos únicos. A Young Chef  Eduarda Costa, aluna da Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, sugere-lhe que experimente a Açorda de Ovas de Bacalhau.

E aqueles fins de tarde em que um Pão de Ló de Ovar é o lanche mais apetecível? Produto de marca registada e um dos finalistas às 7 Maravilhas Doces de Portugal, é de execução fácil, e pode fazê-lo em casa, à sua maneira. Para ser igualzinho ao autêntico, basta que tenha uma forma de barro.

2| Viseu Dão Lafões

Indo eu indo eu, a caminho de Viseu… provar uma das mais variadas tradições gastronómicas regionais, as de Viseu Dão Lafões. A variedade de pratos tradicionais é muita, mas nesta região demarcada por montanhas e vales, a Vitela Dão Lafões é merecidamente apreciada. Facilmente a poderá executar e saborear no aconchego do seu lar. Ora veja.

Tão característico de Viseu Dão Lafões, mais propriamente em Sátão, encontramos os míscaros ou os cogumelos selvagens. A quantidade e qualidade dos pratos que se desenvolvem com esta iguaria torna-os uma escolha imprescindível a quem visita Viseu Dão Lafões.Young Chef  Hélder Nabais, aluno da Escola de Turismo e Hotelaria de Coimbra, sugere-lhe uns belíssimos Cogumelos Silvestres com Chocolate Negro. De fácil execução e paladar delicioso, é a escolha ideal para um jantar perfeito e gourmet, não lhe parece?

Sabe quem foi Viriato? Sim, o guerreiro lusitano que enfrentou a expansão de Roma nas chamadas guerras lusitanas, tendo sido apelidado e reconhecido de líder lusitano. E como líder da sua cozinha, sugerimos que experimente os Viriatos, doce típico da região de Viseu Dão Lafões.

3| Região de Coimbra

A cultura do Arroz no Baixo Mondego é muito antiga e mantendo-se ao longo das margens do Mondego, tornou-se na economia base agro-pastoril da região por muitos séculos. O arroz era um bem imprescindível, um elemento festivo e um fator de identidade, sendo base de muitos pratos regionais do Baixo Mondego. Um desses pratos típicos que identifica a região é a Lampreia, uma iguaria requintada e delicada que pode ser cozinhada por si. Aqui, sugerimos o Arroz de Lampreia.

O Leitão é, sem dúvida, um ícone da cozinha tradicional portuguesa. O segredo de um bom prato de Leitão assenta no saber cozinhá-lo e na arte e amor com que o faz. Sendo que o leitão é um prato que cai bem em todos os convívios, o Young Chef  Leandro Valente, aluno da Escola de Turismo e Hotelaria de Coimbra, sugere-lhe a Feijoada de Leitão para brilhar na sua próxima festa.


As Terras da Chanfana integram a Lousã, Miranda do Corvo, Penela e Vila Nova de Poiares, elegendo uma das 7 Maravilhas da Gastronomia, a Chanfana, confecionada com carne de cabra e vinho tinto no caçoilo de barro preto, típico desta região. Pode acompanhar com legumes e batata cozida. Nesta mesa não poderá faltar um queijo de sabor forte, um mel da Serra da Lousã e um belo vinho da Bairrada.

Sendo uma região de vastos contrastes culturais e paisagísticos, não é apenas a carne que reina na Região de Coimbra. Na Figueira da Foz, na costa de Lavos, o peixe é o rei. Deixamos-lhe a sugestão de uma Caldeirada de Peixe, diretamente do Pescódromo de Lavos, confecionada com artigos fresquinhos e oriundos do mercado local. Aceite a sugestão do Chef João D’Eça na escolha do peixe e experimente este delicioso prato.

A queijada é um doce conventual cuja origem é ancestral. No final da refeição, um doce ajuda a findar a refeição e por esse motivo lhe sugerimos uma outra especialidade da região que poderá experimentar, as Queijadas do Pereira. E não se esqueça, siga o conselho de quem as fabrica há muito: coma-as acasaladas, pois segundo a tradição, só assim o seu gosto será perfeito. Uma delícia!

Outra das doçarias da cozinha conventual portuguesa é o Pastel de Tentúgal. Já se imaginou receber em sua casa uma das Maravilhas da doçaria conventual portuguesa? Este prazenteiro doce é o testemunho incomparável da história de Tentúgal. Um pastel com finíssimas e estaladiças folhas de massa, com um distinto recheio de ovos. Delicie-se e deixe os seus convidados deleitados com um tentador e irrecusável Pastel de Tentúgal!

4| Serra da Estrela

O excelente sabor da gastronomia serrana pode ser encontrado numa infindável variedade, encontrando maior expressão nas carnes. Como tal, imagine, esperamos que em breve, um memorável almoço de família cujo anfitrião é o prato principal, o Ensopado de Borrego.

O Queijo da Serra da Estrela é produzido exclusivamente com leite de ovelhas da raça Bordaleira, hoje considerado património que representa a identidade do povo serrano. Diretamente da serra para a sua mesa, aqui, o queijo é rei. Esta iguaria é mais do que um simples queijo, por isso o convidamos a experimentar as Trouxinhas de queijo Serra da Estrela com Doce de Abóbora, onde poderá colocar este doce ou ainda o mel, também típico desta região. Desafio aceite?

5| BEIRA BAIXA

A gastronomia da Beira Baixa assenta essencialmente em duas atividades: caprinocultura e apicultura. O Cabrito Assado é, indubitavelmente, um dos pratos mais procurados e confecionados nesta região de enorme diversidade. Servido com um Queijo da Beira Baixa, a sua mesa ficará simplesmente divinal.

No coração da Beira Baixa, o Bolo Finto era habitualmente oferecido pelos noivos aos convidados na cerimónia, e atualmente, esta tradição ainda é mantida em algumas festividades. Experimente e certamente será uma receita a repetir na próxima festa a organizar por si. Se é amante de pão caseiro, veja o vídeo até ao fim.

6| MÉDIO TEJO

O Grão das Malhas é um prato tradicional das zonas rurais do Médio Tejo. As malhas era o nome usado para a ceifa dos cereais, tais com, o trigo, o centeio e outros que, após este processo, eram malhados à força separando o grão que posteriormente moído, seria transformado em pão. Não havendo lugar à ceifa, sugerimos que experimente este prato tão tradicional como histórico.

O típico Maranho surgiu da necessidade sócio económica da região, quando a cabra e o borrego existiam em abundância. Atualmente, é um prato tradicional de dias festivos mas muito comum na região Centro de Portugal. O Maranho tem um aroma muito característico, onde a hortelã e estes dois tipos de carne predominam. Se há truques e segredos por trás desta famosa iguaria? Claro que sim, mas partilhamo-los consigo, para que possa brilhar junto dos seus convidados, com esta iguaria rainha da Sertã.

As tigeladas são as rainhas da doçaria regional e em Vale de Cardigos, concelho de Mação, as tradicionais tigeladas ainda são cozinhadas em caçoilos de barro e muitas vezes em forno de lenha. Se são tem forno de lenha tradicional, pode fazê-lo no seu forno convencional. Ao longo de todo o ano, mas especialmente em dias frios, uma Tigelada de Cardigos, nem sabe o bem que lhe fazia!

A ousadia de experimentar um dos doces regionais do Médio Tejo fará de si um cozinheiro de palmo e meio. Falamos dos Cartuchos de Amêndoa de Cernache do Bonjardim, claramente conventuais. São um dos produtos de referência do concelho da Sertã e presença obrigatória em eventos festivos. Serão certamente um dos seus próximos “convidados” à mesa.

7| REGIÃO DE LEIRIA

A Região de Leiria brinda-nos com sabores divididos entre as carnes, os peixes e o marisco, mas o seu ex-libris são as migas. Fáceis de elaborar, são frequentemente eleitas como acompanhamento de qualquer prato, seja ele bacalhau, cabrito assado ou o serrabulho, as migas são identidade cultural da região. Não perca tempo quando a fome aperta, pois este tesouro gastronómico está à espera de saltar tacho para o seu prato.

Alvaiázere orgulha-se em ser a Capital do Chícharo em Portugal. Os chícharos são uma leguminosa semelhante ao tremoço, muito nutritiva que se tornou famosa na Região de Leiria, indo até ao extremo da região, em Santa Catarina da Serra. A tradição de cozinhar as “xíxaras” como também são conhecidas, vai além-fronteiras como poderemos verificar neste vídeo, onde o prato é confecionado diretamente de Paris, pelo Chef Rui Cardoso. Surpreenda-se também com uma boa sobremesa feita á base desta leguminosa!

Os doces ricos em amêndoa e ovos sabem sempre bem após a refeição. Conheça a história das Brisas do Lis e aprenda a melhor forma de as fazer.

8| OESTE

A região Centro do país é rica em produtos endógenos, produtos esses que fazem as delícias dos pratos regionais. O peixe seco é disso exemplo. Na costa marítima, entre Nazaré e Peniche é uma iguaria que acompanha gerações e aqui, a tradição ainda é o que era. Do mar salgado para a sua mesa, apresentamos-lhe as Migas de Carapau Seco!

O peixe é uma iguaria que nos leva muitas vezes a percorrer quilómetros para o degustar. Mas se lhe dissermos que poderá confecioná-lo com todo o primor, no coração da sua casa? Basta que tenha os ingredientes certos e a vontade de cozinhar este petisco de comer e chorar por mais. Deixamos-lhe uma sugestão diretamente do alto mar, a Caldeirada à Berlenga.

O Oeste não é apenas terra de peixe. Em Alcobaça, um dos pratos mais típicos e mais apetitosos desta região, é o Frango na Púcara. Servido aos pedaços, com batata frita e arroz, é um dos manjares que poderá apresentar aos seus próximos convidados. As crianças adoram-no!

Já todos temos saudades de um bom convívio de fim de tarde com os amigos onde, descontraidamente numa esplanada, café ou restaurante, saboreamos uma cerveja fresquinha. Leia este artigo até ao fim!


#BREWERY

Agora que se aventurou como Chef do seu próprio “restaurante” e preparou a ementa para os próximos eventos, sugerimos que adicione ao menu a autêntica cerveja artesanal. O fabrico artesanal de cerveja é um processo com ingredientes regionais, e muitas vezes, locais. Para que usufrua ao máximo desta experiência, conheça algumas das cervejas artesanais da nossa região.

Loura, Ruiva ou Morena? A escolha é sua, à la Carte…

Diva – Montemor-o-Velho
Cinco Chagas – Cerveja Artesanal da Bairrada, Anadia 
Maldita – Silver Award Winner, International Breweing Award 2015, Aveiro
Xó Carago – Leiria
Xarlie – Leiria
Epicura – Coimbra
Praxis – Coimbra
Rapada – Oliveira do Hospital
Açor – Arganil
Forja – Fundão
Luzia – Anadia
Bordallo – Caldas da Rainha
Pedrógão – Praia do Pedrógão

Haverá tempo de reunir a família e amigos, e degustar o melhor das tradições gastronómicas do centro do país. E não se esqueça, quem não arrisca, não petisca!

Mantenha o espírito.
O Centro de Portugal continua aqui, à sua espera.