No Centro de Portugal, a diversão é para toda a família e não faltam atividades ao ar livre! Aqui, junta-se o melhor do património histórico e natural da região para oferecer momentos de aprendizagem, contacto com a natureza e muita animação.

Com uma riqueza natural inigualável, no Centro de Portugal o que não lhe faltam são motivos para partir à descoberta de cenários idílicos. Aqui, a cultura e a natureza andam de mãos dadas dando-lhe a oportunidade de viajar no tempo pela História de Portugal na companhia de paisagens de cortar a respiração.

Uma Aventura no Centro de Portugal. Uma não. Tantas!

Aperte o capacete e parta à descoberta das mais deslumbrantes paisagens do Fundão pelos percursos de BTT do Parque do Convento, vá ao encontro de animais selvagens no Parque Ecológico de Gouveia ou viva a História de Portugal em família no parque lúdico-pedagógico do Portugal dos Pequenitos.

Uma experiência a não perder é percorrer as ruas da cidade da Covilhã, apreciando as obras de arte urbana levadas a cabo no âmbito do Festival Wool e que dão vida e cor à cidade. A Piscina Praia da Covilhã fará as delícias de miúdos e graúdos. Entrem na onda em família e respirem ar puro. Paisagens deslumbrantes e horizontes a perder de vista é o que reservam os inúmeros Miradouros que podem ser visitados nesta admirável região.
Um passeio em família pelas Aldeias de Montanha (Cortes do Meio/ Erada/ Penhas da Saúde/ São Jorge da Beira e Verdelhos) é o desafio ideal para os amantes da natureza. E reconhecendo os benefícios das caminhadas ao ar livre, não faltam Roteiros e Percursos para fazer em família, apreciando o que a natureza tem de melhor.

E se quer praticar pedestrianismo, há centenas de percursos pedestres no Centro de Portugal à sua espera para o levar numa aventura à descoberta do melhor que a natureza tem para lhe oferecer.

O concelho do Sabugal tem para lhe oferecer um vasto leque de percursos pedestres dispersos pelo seu território. E os circuitos onde estão incluídas cinco zonas de subida de BTT, são um desafio aliciante para os ciclistas, considerando as particularidades técnicas associadas à distância, desnível acumulado, altitudes e inclinações.
Andar de baloiço remete-nos sempre para a nossa infância. Sentimos uma grande liberdade e é exatamente isso que os Baloiços do concelho oferecem a quem o visita, para além de se apreciarem ao ar livre, as belas paisagens que rodeiam o território.

Race Nature Sabugal

Entre num mundo de experiências adequadas a qualquer nível de resistência e descubra a riqueza ambiental e patrimonial do concelho de Castelo Branco. Destaque vai para uma vasta rede de percursos pedestres, que conta com 13 pequenas rotas, 15 circuitos BTT, apoiados pelos Centro de BTT de Sarzedas e Centro de BTT da Serra da Gardunha e ainda, as 2 rotas Birdwatching, com uma grande diversidade de paisagens e habitats, onde podem ser observadas mais de 160 espécies de aves.

Em plena cidade de Castelo Branco, encontre um verdadeiro refúgio natural.

No Parque do Barrocal, os caminhos e passadiços foram desenhados no sítio, adaptando-se às singularidades topográficas e geológicas de cada lugar. Conjuntamente com os mirantes, as plataformas de observação são locais privilegiados para contemplar e viver a paisagem do Barrocal.
O túnel do lagarto, a ponte suspensa, o Mirante de S. Martinho e o parque infantil são elementos que complementam a atratividade do local. Está integrado nos territórios classificados do Geoparque Naturtejo Mundial da UNESCO e da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Tejo/Tejo Internacional.

Parque do Barrocal – Castelo Branco

Outro espaço ao ar livre que deve absolutamente visitar em Castelo Branco, é o Jardim do Paço Episcopal. Classificado como monumento nacional, revela ser um dos mais originais exemplares do Barroco em Portugal. Em termos formais, o jardim divide-se em quatro espaços diferentes, mas ligados por diversos pontos de articulação e cujo elemento comum é a água: a entrada, o patamar do buxo, o Jardim alagado e o plano superior. A visita inicia-se pelo Centro de Interpretação do Jardim do Paço, onde visitante pode conhecer a história do espaço, observar peças originais que fizeram parte do Jardim, encontradas durante as investigações e obras de beneficiação que têm sido realizadas. 

Jardim do Paço Episcopal – Castelo Branco

O concelho de Castelo Branco é cada vez mais um museu a céu aberto de belíssimos murais que dão um toque de modernidade à região. Através da Rota Murais, pode apreciar as intervenções artísticas realizadas por artistas de renome nacional e internacional.

Mas Castelo Branco não se fica por aqui. Repleta de história e tradição, a cidade dispõe de um conjunto alargado de atividades para toda a família. Através de 10 rotas temáticas poderá conhecer espaços em que a memória e o património local se conjugam, para que possa usufruir de uma oferta diversificada de experiências por todo o concelho. Para atividades ao ar livre, escolha a Rota Ativa, a Rota Radical, a Rota Viva e a Rota Lazer. Faça depois as outras, bem interessantes por sinal!

Experiencie ainda momentos de pura adrenalina no Kartódromo da cidade. Constitui uma das valências do Parque de Desportos Motorizados e possui pistas de Autocross/Rallycross, circuito de Enduro e uma Zona TT.

Ainda na Beira Baixa, mais precisamente em Proença-a-Nova, há muito para fazer: Caminhadas, passeios de BTT, Via Ferrata, visitar a Serra das Talhadas e os Miradouros.

A Rota das Invasões, em Vila Velha de Rodão, leva-o pela história militar da região da Beira Baixa. Já em Aveiro, a estrela é a biodiversidade inigualável do território e, com o Percurso do Salreu, pode ficar a conhecê-la bem de perto atravessando territórios de enorme beleza, designados por áreas de sapal e paul. Não perca ainda o Caminho do Xisto que o leva por algumas das aldeias mais típicas portuguesas desde o Casal de São Simão até às Fragas, em Figueiró dos Vinhos.

Mas vamos agora para Viseu Dão Lafões. Começamos por Viseu, uma cidade com 2500 anos de História e um centro histórico que é um património de referência. Visite a Cava do Viriato, uma enigmática e antiquíssima fortificação octogonal lendariamente ligada à figura de Viriato. Explore caminhos romanos, a muralha medieval, os recantos e segredos da cidade antiga. Admire igrejas, palacetes e casas de várias épocas. Passeie pelos jardins e parques dentro da cidade.


O Parque do Fontelo é uma mata antiquíssima que fazia parte da quinta do antigo Paço Episcopal. Com uma área arborizada de 10 hectares, é o maior espaço verde público da cidade, ideal para descansar e praticar desporto. Neste local que é hoje propriedade municipal, têm sido instalados importantes equipamentos desportivos e de lazer: parque infantil, circuito de manutenção e um parque desportivo.

Perca-se também pelo Parque Aquilino Ribeiro, um pulmão verde com grandes árvores e outras variedades botânicas, curso de água, bancos de jardim e parque infantil. Já no Parque Linear do Rio Pavia, um contínuo verde ao longo do rio, que integra o espaço da Feira de São Mateus, existem caminhos e pontes pedonais sobre o rio, equipamentos lúdicos e zonas de estar.

É agora altura de instalar a APP Carregal 360, conhecer a distância, a duração, os pontos de interesse e o grau de dificuldade de Percursos, Circuitos e Rotas de Carregal do Sal
Localizado entre as Serras da Estrela e do Caramulo e os rios Dão e Mondego, Carregal do Sal tem, por si só, uma configuração geográfica privilegiada, Nas magníficas paisagens naturais predominam o pinheiro manso e as vinhas e um vasto legado histórico-patrimonial. Admire o Rio Mondego e Serra da Estrela a partir do Baloiço dos Fiais. Descubra outros encantos e recantos deste concelho, como restaurantes, alojamentos, jardins, património religioso, mas também diversas quintas vinhateiras de renome internacional.

Baloiço dos Fiais

Visitar Aguiar da Beira, nos meses de verão, significa poder usufruir de atividades diversificadas. Para os amantes da Natureza, este concelho é, sem dúvida, um destino a escolher. O projeto Caminhadas na Natureza incita à descoberta de paisagens das várias aldeias que compõem o concelho, dinamizando assim as manhãs de domingo entre junho e setembro. É também possível praticar desporto embrenhados na Natureza, através dos Percursos Permanentes de Orientação implementados em todo o território concelhio.
Para desfrutar de bons momentos em família, opte pela visita à Trilogia Monumental ou faça um percurso diferente pelos seis baloiços existentes no concelho. Todos eles diferentes, embrenhados na paisagem ou com vistas deslumbrantes, capazes de fazer cortar o fôlego. Para refrescar, nos dias quentes, mergulhe nas piscinas municipais exteriores, que se encontram abertas todos os dias nos meses de verão.

Com percursos e trilhos aprazíveis distribuídos por todo o concelho de Santa Comba Dão, o clima convida, na maior parte do ano, a caminhadas, a passeios de bicicleta pela Ecopista do Dão e à vida ao ar livre. Convida também ao reencontro da família e dos amigos que pode ser junto ao Baloiço de Nagozela (percurso PR2), ou ao Baloiço das Bajencas, em Pinheiro de Ázere (a escassos metros do PR4).

Os baloiços, estruturas simples também têm a capacidade de dar a sensação de liberdade e despreocupação da nossa infância. Autênticos miradouros, criam expetativas e deslumbram-nos com vistas maravilhosas. Em São Pedro do Sul, deslumbre-se com os baloiços da Serra da Arada, S. Macário e Serra da Freita.

A ecopista de São Pedro do Sul, com futura ligação à ecopista do Vouga, tem 3km ao longo do Rio Vouga e é rodeada por vegetação. Ao longo da ciclovia pode observar duas pontes de elevado valor histórico e patrimonial, e, recentemente foi instalada uma estrutura com animais, nomeadamente cabras anãs. Ao longo do percurso estão instaladas estruturas para tirar bonitas fotografias, equipamentos de ginásio ao ar livre, bebedouros para se refrescar, bancos de apoio e instalações sanitárias.

O Município incentiva a exploração dos trilhos e organiza mensalmente rotas dos “Percursos Pedestres” com guias. Venha até São Pedro do Sul, conheça a “Rota da Cabra e do Lobo” e participe na “Caminhada do Peregrino”.

Seguimos para a Região de Coimbra.

Antes de mais, vai um forte destaque para o Jardim Botânico de Coimbra que celebra 250 anos, em 2022. Autêntico oásis no coração da cidade, é um local protegido do ruído urbano que nutre as ideias e a criação, por isso se abre à cidade com atividades que colocam em diálogo a Arte, a Natureza, a Ciência e a Educação. Conheça cada recanto e…encante-se!

São também muitas e variadas as razões para visitar o concelho de Oliveira do Hospital, desde as praias fluviais classificadas dos rios Alva e Alvoco, ao património classificado nacional de Oliveira do Hospital, Bobadela e Lourosa, passando pelo património arqueológico ou pela etnografia concelhia e seu manto de surpresas, da música à gastronomia.

Começamos pela Subida Épica Ponte das 3 Entradas-Monte do Colcurinho. 18km, sempre a subir, é a proposta que deixamos para os amantes das bicicletas de estrada. Esta subida começa na carismática Ponte das Três Entradas e termina junto à capela do alto do Colcurinho, lugar de romagem para muitas pessoas da região. À chegada ao alto, a vista recompensa todo o esforço desenvolvido oferecendo uma das melhores panorâmicas a 360 graus, num local de beleza ímpar onde o horizonte se estende às Serras da Estrela, Açor, Caramulo e Montemuro.

Suba na Bicicleta do Colcurinho. Não é um baloiço, mas sim uma bicicleta “pasteleira”, situada no ponto mais alto do concelho de Oliveira do Hospital, a 1244 metros de altitude. Está instalada numa plataforma giratória podendo o utilizador escolher qual o lado que pretende observar e fotografar.

Apesar de todo o céu de Oliveira do Hospital oferecer boas condições para a prática do Dark Sky, é no Monte do Colcurinho, pertencente à freguesia de Aldeia das Dez, uma das aldeias da Rede das Aldeias do Xisto, que o Dark Sky ganha contornos épicos. Dada a sensação de proximidade com o céu, parece que conseguimos tocar as estrelas!

Aventure-se, em seguida, pela Grande Rota do Alva, um percurso linear com 77km de extensão, com praias fluviais a servirem de apoio aos caminhantes e sempre com o espelho de água e a vasta biodiversidade característica do Alva como cenário natural. 

Por sua vez, a Grande Rota do Mondego (GR48) é um percurso linear com 142 km de extensão, que visa dinamizar turisticamente os territórios compreendidos entre a Figueira da Foz e Oliveira do Hospital, tendo o rio Mondego como denominador comum. 
Moinhos de água, açudes tradicionais, levadas ou socalcos são alguns dos elementos etnográficos que se podem encontrar nesta GR, na zona norte do concelho de Oliveira do Hospital, onde uma visita ao Miradouro da Penha, um geossítio com inúmeros filamentos de quartzo, se torna obrigatório.

Seja de carro, a pé, de bicicleta ou a cavalo, Montemor-o-Velho convida à contemplação, à atenção ao detalhe das ruas dos centros históricos. Do alto dos miradouros de Reveles ou de Montemor-o-Velho desfrute de uma paisagem ímpar, e apaixone-se pelo Baixo Mondego.
No imponente Castelo, a maior fortificação do Mondego e uma das mais belas do País, encontre o Baloiço dos Namorados, uma instalação que também ela proporciona uma contemplação soberba da paisagem.

Quando o calor apertar, mergulhe na Piscina descoberta da Carapinheira ou no Esteiro Fluvial da Ereira. Já refrescado, parta em direção aos Pauis de Arzila e do Taipal onde se pode observar um elenco extenso de espécies de fauna e flora protegidas. Caniçais, canaviais, juncos, nenúfares, patos, cegonhas, garças-vermelhas ou águias-pesqueiras, são algumas das espécies que fazem destes locais autênticos santuários de fauna e flora.

Em Montemor-o-Velho encontra-se também, uma das melhores pistas europeias para a prática das modalidades de canoagem, remo, triatlo e natação em águas abertas. Com um impressionante plano de água de 2200m perfeitamente integrado na paisagem agrícola, o Centro Náutico apresenta condições de exceção para a prática desportiva.

Vamos falar-lhe agora na “Rota do Arista”.

No início do século XX, Penacova era um local de eleição para aqueles que genericamente ficariam conhecidos como “aristas”. Pessoas que atraídas pela qualidade do ar que aqui se respirava, bem como pelas paisagens, permaneciam longas temporadas nesta vila.
Mais de cem anos volvidos, a procura do bom ar continua a ser uma realidade em Penacova. O Lazer e os Desportos de Natureza são hoje o mote para fugir à rotina do trabalho, da vida agitada das cidades, encontrando aqui o espaço perfeito para respirar um “ar puro”. Surgiu assim a ideia de criar O “Roteiro do Arista”. Este Roteiro consiste na seleção de oito locais de grande expressão turística – tantos quantas as letras que formam a palavra PENACOVA. As pessoas são convidadas a encontrar cada uma das letras, a apreciar cada um dos locais esplendorosos, e a desfrutar dos bons ares e da natureza, transformando-se assim em verdadeiros Aristas. Seja um deles!

Roteiro do Arista

O concelho de Penacova encontra-se inserido numa área de excelência á prática de experiências ao ar livre excecionalmente gratificantes, oferecendo aos participantes vistas atraentes com desafios intermináveis e oportunidades únicas de escape aos ambientes urbanos.

Na Praia Fluvial do Reconquinho, não se admire de ouvir bem alto a expressão “Ó da Roda”. É o grito do barqueiro que guia a “Tareco”, quando se depara com obstáculos à passagem da tradicional barca serrana que voltou às águas do rio Mondego: as Serranas do Mondego.
Entretanto, a barca serrana “Tareco” ganhou uma nova irmã, chamada precisamente “Ó da Roda”. Faz serviço em Coimbra e o embarque acontece na margem direita do Parque Verde do Mondego, junto à ponte pedonal Pedro e Inês. O passeio, de aproximadamente 50 minutos, abrange a zona entre o Pavilhão Centro de Portugal e a Ponte de Santa Clara.

Ao longo do percurso, o barqueiro vai contando histórias da importância deste meio de transporte de mercadorias e algumas curiosidades do Mondego que foi durante séculos, a principal via de comunicação entre as populações do interior e do litoral.
Recorda-se ou descobre-se como era vida no rio e o cultivo dos campos nas suas margens. De Penacova com destino a Coimbra e Figueira da Foz, partiam embarcações carregadas de madeira, carqueja, lenha e carvão. De regresso, traziam sal, pescado, milho, pipas de vinho e outras mercearias.

Depois de zarpar, parta rumo a uma nova aventura! Percorra trilhos com um assinalável património paisagístico natural, e conheça os Caminhos da Batalha do Bussaco, um projeto ao qual se associaram, para além de Penacova, os municípios de Mortágua e Mealhada.

Daqui passamos por Vila Nova de Poiares, Lousã, Miranda do Corvo, e chegamos ao concelho de Penela, Todos eles guardam paisagens e tradições que surpreendem os que por lá passam. Arborismo, aventuras subterrâneas, workshops e provas de pão ou queijo artesanal, descobrir o mundo jurássico de Sicó, observação de veados selvagens, passeios de BTT, são algumas das atividades que pode praticar neste território.

Destacamos o arborismo. Em Espinhal, Penela,Arborismo ExpertTree Park, parque temático e de diversões, convida-o a progredir de árvore em árvore, através de pontes de corda, redes, slides, saltos “tarzan” e outras travessias criativas de diferentes alturas, de copa em copa, e a terminar com divertidos slides. Aqui muitas atividades esperam por si. Sabe o que é o Bubble Football, por exemplo? Venha descobrir!

Arborismo ExpertTree Park


A diversão é garantida! Mas não se fica por aqui. No Parque Aventura Figueira da Foz, o maior parque de arborismo do país, pequenos e graúdos podem percorrer uma série de percursos através de pontes, redes, slides gigantes pelo meio das árvores e em suspenso. Basta que tenham 1,25m de altura.

Também no Centro de Portugal, na Região de Leiria, encontrará o único Parque de Arborismo no Mundo integralmente dedicado à temática medieval. É o Parque Aventura São Jorge que conta tudo sobre as armas, as estratégias, as profissões de guerra e especialmente sobre a história da Batalha de Aljubarrota, a descobrir no espaço envolvente do Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota.

Passe ainda pelo Parque Aventura Pousos – Leiria e viva momentos de pura adrenalina. É composto por um “desafio de Queda Livre, uma Ponte de Vidro a treze metros de altura, vários slides (um deles completamente aéreo, saída e chegada, sempre a mais de 12 metros do chão). Experimente os Saltos de Tarzan com treze metros, uma Bicicleta “voadora” que percorre um cabo de 21 metros a 10 metros de altura, entre muitas outras atividades, num total de 35 desafios.

Ainda na Região de Leiria, em Figueiró dos Vinhos, passeie pela Mata Municipal do Cabeço do Peão. É um lugar de destaque em termos de património natural, sendo constante o esforço da autarquia em reabilitar aquele espaço verde que tem uma área de cerca de 34,5 hectares. Considerada o pulmão do concelho, o seu ponto mais alto da Mata tem 500m de altura, onde se ergue a Capela de Santo António. Possui parque de merendas, circuito de manutenção e zonas de lazer.

Cabeço do Peão – Figueiró dos Vinhos

Depois de tanta diversão, descansar num dos parques verdes do Oeste é uma excelente opção.

O Buddha Eden Garden, na Bacalhôa, concelho do Bombarral, é o lugar ideal para um agradável passeio em família. Um verdadeiro oásis de serenidade que convida à meditação e paz de espírito numa paisagem repleta de influências orientais.

Em Alcobaça, pare no Jardim do Amor, local que melhor celebra a história de amor de D. Pedro I e Inês de Castro e reserva muitas surpresas aos casais apaixonados. Visite a cidade e parta à descoberta do concelho. É que há tanto para ver e fazer!

Prosseguimos a nossa viagem para um parque completamente diferente. Com a vinda de centenas de turistas e banhistas, nos anos 30, uma Comissão de Iniciativa decidiu que a Nazaré necessitava de um parque no Monte Branco, onde se pudessem vislumbrar os horizontes e as perspetivas encantadoras da praia e arredores. Aí foi construído um lindo parque arborizado, com um lago e um campo de ténis. É hoje o aprazível Jardim da Pedralva, dotado de algumas infraestruturas de lazer. Do seu ponto mais alto é possível admirar uma das mais belas vistas panorâmicas da vila da Nazaré. Ao passearmos por este belo parque podemos observar um conjunto de bancos de pedra com conjuntos azulejares da década de 30.

Já na Ladeira do Sítio da Nazaré, encontra-se o Baloiço da Ladeira, local perfeito para umas belas fotos e uns momentos de descanso.

Ainda no Sítio, no Pinhal de Nossa Senhora da Nazaré, no caminho para a Praia do Norte, é obrigatório que pare no “Cercado dos Veados”, um projeto que evoca e relembra o milagre de Nossa Senhora da Nazaré ao Cavaleiro D. Fuas Roupinho.
Aqui podem observar-se vários espécimes de veados-vermelhos. Sabia que os machos podem chegar aos 250 quilogramas e as fêmeas aos 150 quilogramas? E que a pelagem do veado-vermelho muda consoante a estação do ano, ou que as hastes só se desenvolvem nos machos? Venha admirá-los e fique a saber tudo sobre os maiores cervídeos depois do Alce.

Cercado dos Veados – Sítio da Nazaré

No concelho de Óbidos, um extenso areal, a perder de vista, traça o caminho natural para belos passeios ao longo das margens da lagoa, que se constitui como o sistema lagunar mais extenso da costa portuguesa. Passe pelo Centro de Interpretação para a Lagoa de Óbidos. Vai adorar!
Depois, percorra cenários deslumbrantes e desfrute de um profundo encontro com a Natureza ao observar a vida selvagem de várias espécies no local. E continue à descoberta por magníficos trilhos, ecovias e percursos pedestres.

Para os verdadeiros amantes da natureza, nada melhor que sentir a serenidade das paisagens verdejantes do Centro de Portugal na companhia das mais raras e emblemáticas espécies de aves da Península Ibérica. E se preferir acompanhar a observação de aves com um pouco de desporto à mistura, porque não passar uns dias em Peniche? É verdade: um dos melhores destinos de surf do mundo é também uma das melhores regiões para observar aves migradoras da Europa!

Parta em direção a Arruda dos Vinhos. Leve calçado confortável ou botas de caminhada. É que o PR1 – Percurso pedestre “Por serras de Al-Ruta” espera por si, bem como, a GR30 – Grande Rota das Linhas de Torres (Troço de Arruda dos Vinhos).
Se gosta de geocaching, saiba que existem cerca de 100 caixas em Arruda dos Vinhos para os amantes desta atividade ao ar livre explorarem o território.

Vamos agora para a Ria de Aveiro. Com abundância de aves aquáticas, é um verdadeiro paraíso para amantes de birdwatching. E muito mais!

Começamos por ordem alfabética: Águeda.
Da Pateira de Fermentelos – a maior lagoa natural da Península Ibérica – passando pelos Rios ÁguedaAlfusqueiroCértimaMarnel e Vouga, pelos Parques Fluviais e de Lazer e pelos vários Percursos Pedestres, são muitas as opções para passear e desfrutar da natureza no concelho de Águeda.

Em Albergaria-a-Velha, terra de água, pão e moinhos, a Pateira de Frossos insere-se no importante sistema lagunar da Ria de Aveiro. Representando um valioso recurso turístico, exibe uma inigualável biodiversidade de espécies e vegetação que poderá observar ao longo de vários trilhos e percursos devidamente sinalizados.

Depois, continue a exercitar o corpo e a mente. Usufrua dos recursos que Anadia coloca à sua disposição – Campo de Golfe, courts de ténis, equitação, passeios pedestres e de bicicleta, piscinas, hidromassagem, sauna, teatro, cinema, literatura, património, entre tantos outros.
Quer sentir a adrenalina dos atletas de alta competição? Assista aos campeonatos e provas nacionais e internacionais no Centro de Alto Rendimento – Velódromo Nacional e pistas de BMX e XCO.

Seguimos para Aveiro. Aos amantes da Natureza sugerimos os Passadiços de Aveiro para apreciar a paisagem lagunar, e os trilhos pedestres da Reserva Natural das Dunas de São Jacinto.
Tanto em mar como em terra, são inúmeras as atividades e experiências que poderá realizar em família. Visite as marinhas de sal para ver in loco a produção e recolha do sal, experimentar um spa salínico ou até mesmo fazer praia. Pratique desportos náuticos e passeie na Ria de Aveiro. As famílias com crianças poderão realizar um jogo de realidade aumentada e geocaching virtual para conhecer o Parque Infante D. Pedro ou efetuar uma visita guiada ao parque temático “Lugar dos Afetos”.

ria aveiro aves

Dê um pulo até Estarreja, mas venha com tempo. Aqui, há muito para ver! Perca-se no Baixo Vouga Lagunar. Cruze campos de arroz, sapais, juncais e caniçais. O silêncio impõe-se para ouvirmos o som de aves, como a imponente Garça-branca-grande de plumagem branca e bico comprido e amarelo.

Também em Ílhavo, a observação das aves propicia momentos diferentes e únicos. Nos canais praticam-se desportos náuticos. Nas praias da Barra e da Costa Nova, o mar junta-se à terra de forma singular, sob a luz, a cor e a referência do Farol e dos Palheiros da Costa Nova.

Todos os Município da Ria de Aveiro, possuem uma relação ancestral com a água. A Murtosa não é exceção! Mais de 82% do território está inserido na zona de proteção especial da Ria de Aveiro, o que o torna numa verdadeiro paraíso para o birwatching.
E porque estamos no concelho mais plano de Portugal, deixamos-lhe um convite irrecusável: deixar o carro para trás e percorrer, a pé ou de bicicleta, os belíssimos trilhos que, ao longo de dezenas de quilómetros, bordejam a Ria e atravessam a imensidão dos campos agrícolas.

Em Oliveira do Bairro, marinhas de arroz e parques à beira rio não faltam. Os parques de lazer dispõem de inúmeras áreas de descanso, baloiços, lagoas, sendo excelentes locais para convívios, eventos, caminhadas, piqueniques, observação de aves e da flora e ainda atividades culturais e sociais, reunindo todas as condições para um dia bem passado.

Ovar é destino privilegiado para quem procura o prazer da atividade física e desportiva ao ar livre, e as vivências que a náutica oferece, de modo integrado e qualificado. Há surf, vela, canoagem e passeios de stand up paddle para praticar, competir ou experimentar. E há 60 km de ciclovias, 6 km de passadiços e muitos mais de percursos pedonais que permitem ir à descoberta de pequenos ecossistemas, fauna e flora autóctones, e paisagens deslumbrantes.

Sabia que o Município de Sever do Vouga, realiza visitas orientadas pelas Minas da Malhada e do Braçal? É uma experiência fantástica! Ao longo de cerca de 5km, ora na margem refrescante do rio Mau ora na antiga linha de vagonetas, o visitante será guiado pela história e pelas estórias da 1ª concessão mineira de Portugal, incluindo uma visita a uma antiga galeria, ao forno alto e ao Museu Municipal.

Em Vagos pode caminhar ao longo de 5 km de passadiços de madeira sobre o cordão dunar. Pode deslocar-se de bicicleta entre o seu alojamento e a praia e ter acesso a aulas de ginástica, dança e outra animação durante os meses de verão, na praia da Vagueira. Se preferir um programa mais tranquilo, encontra rotas pedestres e pontos de observação de aves protegidas que nidificam e ocupam esta zona. Para descansar, nada como caminhar pela Quinta do Ega ou fazer um piquenique nas mesas coloridas do parque de merendas na Gafanha da Boa Hora.

Calce as botas e coloque a mochila às costas: há muito por descobrir no Centro de Portugal!

Para quem gosta de aproveitar a Natureza em pleno, com atividades estimulantes para todos os gostos, são vários os caminhos, mais ou menos radicais, a seguir. Onde? No Médio Tejo! Nesta região, para a alegria de todos, abundam os parques e jardins.

Em Tomar, o Parque do Mouchão e a Mata dos Sete Montes, são espaços que vai querer obrigatoriamente descobrir. O primeiro é um paraíso verde no meio do rio, uma pequena ilha ligada à cidade por pontes pedonais. O segundo é, nada mais, nada menos, que o maior parque da cidade, com cerca de 39 hectares de jardins de buxo francês, de traçado geométrico, e uma mata com ciprestes, oliveiras centenárias, pinheiros mansos e carvalhos. Dispõe de um percurso de manutenção e parque de merendas. Fantástico, não acha?

Ainda no concelho de Tomar, é impossível não referir o PR1 TMR “Nas Margens do Rio Nabão”, com 9,2 km e o PR2 TMR “Dos Gigantes Verdes à Ribeira da Póvoa”, com 13,6 km. Importante será também mencionar o Centro de Cycling do Vale do Nabão, com 6 percursos de BTT homologados (aproximadamente 170 km de percursos). 

Mata dos Sete Montes

Para onde vamos agora? Para o concelho de Mação, pois então!

Os passeios pedestres organizados pela autarquia e várias associações de Mação, acontecem ao longo do ano. Conheça por exemplo o Trilho PR1 de Mação e aventure-se passo a passo pelas Rotas de Mação. Vai ficar impressionado com a riqueza do património natural e cultural desta região, com especial ênfase no património geológico. Com a descoberta a 6 de Março de 1943 do conjunto de peças da Idade do Bronze conhecidas como o Tesouro do Porto do Concelho, começa a história do Museu de Mação. Este local merece uma visita demorada mas não é para lá que vamos agora.

Vamos agora para o Arqueoparque social Andakatu. É um Parque Arqueosocial, espaço único em Portugal que permite uma viagem às origens da humanidade. Na Encosta do Calvário estão distribuídos os períodos Paleolítico, Neolítico, Calcolítico e ainda a Idade do Bronze, com habitações e artigos correspondentes a cada uma das referidas Eras. Venha conhecê-los em família. Os miúdos vão adorar!

Em Mação, para além das cascatas, das praias fluviais do Carvoeiro, Cardigos e Ortiga, dos fósseis, dos moinhos, dos passadiços, do Baloiço e Miradouro e do Serra do Bando, entre tantas outras atrações de cortar a respiração, há também um miradouro que dá que falar pela sua originalidade. É o Miradouro da Feiteira ou Miradouro Rock’n’roll Penhascoso, o mais rock n’roll do País, que exibe orgulhosamente uma guitarra pelo facto da aldeia ser conhecida na região como “Aldeia do Rock”. Já a mesa e os bancos ali disponíveis, convidam a uma pausa na caminhada para que se desfrute do local em pleno.
Venha desfrutar desta paisagem e contemple outras a partir dos Miradouros do Médio Tejo.

Conhece o Trilho Panorâmico do Tejo em Almourol, concelho de Vila Nova da Barquinha? É um percurso linear, junto aos rios Zêzere e Tejo. Magnífico!

Não se fique por aqui. Ainda há muito por descobrir! Espreite o roteiro de “Dois dias no Concelho de Ourém”. A nossa sugestão de hoje é que viaje no tempo e observe um importantíssimo registo fóssil de pegadas de saurópodes, um dos maiores seres que alguma vez povoaram este planeta. Rume ao Monumento Natural das Pegadas dos Dinossáurios das Serras de Aire e Candeeiros e divirta-se no Jurássico, recuando no tempo cerca de 175 milhões de anos. Para miúdos e graúdos!

Siga até Abrantes e passeie pelos diversos parques e jardins. Se é fã de ciclismo, vá até ao ParqueTejo, centro bikefriendly, com serviço de aluguer de bicicletas. Para além das valências de campismo e caravanismo, é também um espaço interpretativo do rio Tejo com atividades científicas ligadas à água e ao ambiente. A Grande Rota “Caminho do Tejo evidencia a importância estratégica do rio, cuja riqueza patrimonial se materializa através das estações arqueológicas encontradas no caminho, como os “pegões” de Alvega ou o Canal de Alfanzira.
Na Albufeira de Castelo do Bode, aventure-se no cable park e pratique wakeboard nas praias fluviais de Fontes e de Aldeia do Mato. Nas margens da albufeira, percorra a Grande Rota do Zêzere um troço com 54,7 km, com início na Matagosa.

Aventura e diversão ao ar livre! No Centro de Portugal encontra atividades para toda a família e para todos os gostos dos seus amigos. Explore a região e prepara-se para muita emoção!

Centro de Portugal, um destino e tanto!

Artigo em atualização (comunicacao@turismodocentro.pt)