Visite Belmonte

Coroada pelo castelo medieval, a Vila de Belmonte sobressai pela beleza das suas paisagens e monumentos, pela riqueza da sua história e recursos, pela sua fabulosa posição estratégica, que a fez dominar, desde tempos imemoriais, territórios e vias de comunicação.

Os vestígios mais antigos remontam ao Neolítico onde se destaca a Anta de Caria. Já o povoado da Chandeirinha e S. Geraldo, são locais que assinalam a presença humana durante a Idade do Bronze/Idade do Ferro.

É, no entanto, da época romana que se encontram os vestígios mais significativos, dos quais se destacam a Villa da Quinta da Fórnea e Centum Cellas, locais ligados à exploração agrícola, mineira, entre outras atividades. De facto, pela quantidade de materiais importados descobertos (ânforas, lucernas, terra sigillata, etc) é notório o dinamismo económico que a região conheceu, que se refletiu no comércio. Também não será alheio, o facto de que em Belmonte passava a via romana que ligava Mérida a Braga.

D. Sancho I concede-lhe foral em 1199. D. Afonso III concede autorização para a construção de um torreão de defesa do território que D. Afonso V doou a Fernão Cabral I, transformando-o na residência da família Cabral. Da família destaca-se a figura de Pedro Álvares Cabral, Descobridor do Brasil que deu Novos Mundos ao Mundo.

Belmonte soube também acolher gentes de outros credos e culturas. Aqui estabeleceu-se uma Comunidade Judaica que sobreviveu durante séculos, perdurando ainda na atualidade.

A história, o património e as tradições são divulgadas nos seis espaços museológicos existentes em Belmonte: Núcleo Museológico do Castelo de Belmonte, Igreja de Santiago/ Panteão dos Cabrais (Centro Interpretativo dos Caminhos da Fé), Museu Judaico, Ecomuseu do Zêzere, Museu do Azeite e Museu dos Descobrimentos.

No Concelho, destaca-se também a Torre de Centum Cellas, a Villa Romana da Quinta da Fórnea, a Casa da Torre – Museu do Território, a Casa Etnográfica e a Casa da Roda de Caria e as Pinturas Murais da Capela do Divino Espírito Santo.

Não é só a história de Belmonte que merece uma visita. Perca-se nos seus trilhos naturais, onde se incluem o troço da Via da Estrela, o Caminho de Santiago de Compostela e o troço da GR22 – AHP. Experimente a sua gastronomia, vinhos e desfrute!