O concelho de Coimbra, composto por 18 freguesias, ocupa uma superfície de 319 km² com cerca de 150.000 habitantes. Constituído por zona rural e urbana, apresenta como atividades mais significativas a saúde, o comércio e serviços, o desenvolvimento de programação e inovação tecnológica, o turismo nas áreas cultural, religiosa e de negócios, exercidas nos mais emblemáticos espaços da cidade.
Em 2013, a UNESCO reconheceu o valor excecional da Universidade de Coimbra – Alta e Sofia atribuindo-lhe o selo de Património da Humanidade, o que posiciona a cidade como um dos destinos turísticos e culturais de eleição da região e do país.
Coimbra é detentora de uma vasta e única riqueza patrimonial concretizada ao longo de séculos, tendo sido escolhida por D. Afonso Henriques para primeira capital do Reino de Portugal. A cidade foi berço de reis e centro multicultural, reconhecido pela instalação definitiva da Universidade, em 1537, uma das mais importantes e prestigiadas instituições de ensino em Portugal.
Intimamente ligadas à Cidade e à Universidade estão as tradições académicas, as repúblicas, as vivências entre estudantes e futricas e a canção de Coimbra, onde o erudito e o popular se fundem, constituindo um património imaterial de excelência.
Igualmente atrativa é a paisagem natural de Coimbra, destacando-se os seus parques e jardins de significativo valor histórico e científico, que convidam a momentos de contemplação enobrecendo a história e o património de Coimbra.
As mais emblemáticas figuras nacionais passaram por Coimbra, levando o seu nome pelo mundo. Coimbra foi, ao longo da sua história, responsável pela formação de várias gerações de médicos, escritores, filósofos, políticos, cientistas e muitos outros intelectuais do mundo lusófono.
A cidade dispõe, atualmente, do magnífico Convento São Francisco, equipamento municipal de excelência, que, pela sua dimensão, pela última geração tecnológica dos seus equipamentos e pela visão da sua programação artística, desempenha um importante papel no desenvolvimento do território. Centro de uma programação artística inovadora, este emblemático espaço citadino afirma-se, também, como epicentro da mobilização dos setores económicos da cidade ligados ao ensino, ao turismo, à cultura, à hotelaria, à restauração e ao comércio, uma vez que, como grande centro de congressos, possui uma notável capacidade de gerar atividade económica.
Coimbra é, hoje, um polo dinamizador da Região Centro. O seu contexto social, histórico e patrimonial, aliados a uma oferta cultural de reconhecida qualidade, refletem o contínuo processo de mudança que marca a sua Candidatura a Capital Europeia da Cultura em 2027.