Em 2013, a UNESCO reconheceu o valor excecional da Universidade de Coimbra – Alta e Sofia atribuindo-lhe o selo de Património da Humanidade, o que posiciona a cidade como um dos destinos turísticos e culturais de eleição da região e do país.

Coimbra é detentora de uma vasta e única riqueza patrimonial concretizada ao longo de séculos, tendo sido escolhida por D. Afonso Henriques para primeira capital do Reino de Portugal. A cidade foi berço de reis e centro multicultural, reconhecido pela instalação definitiva da Universidade, em 1537, uma das mais importantes e prestigiadas instituições de ensino em Portugal.

Intimamente ligadas à Cidade e à Universidade estão as tradições académicas, as repúblicas, as vivências entre estudantes e futricas e a canção de Coimbra, onde o erudito e o popular se fundem, constituindo um património imaterial de excelência.

Igualmente atrativa é a paisagem natural de Coimbra, destacando-se os seus parques e jardins de significativo valor histórico e científico, que convidam a momentos de contemplação enobrecendo a história e o património de Coimbra.

As mais emblemáticas figuras nacionais passaram por Coimbra, levando o seu nome pelo mundo. Coimbra foi, ao longo da sua história, responsável pela formação de várias gerações de médicos, escritores, filósofos, políticos, cientistas e muitos outros intelectuais do mundo lusófono.

A cidade dispõe, atualmente, do magnífico Convento São Francisco, equipamento municipal de excelência, que, pela sua dimensão, pela última geração tecnológica dos seus equipamentos e pela visão da sua programação artística, desempenha um importante papel no desenvolvimento do território. Centro de uma programação artística inovadora, este emblemático espaço citadino afirma-se, também, como epicentro da mobilização dos setores económicos da cidade.

Na cidade de Coimbra as tradicionais tascas ainda estão bem vivas e nelas podem encontrar-se os mais variados petiscos: como sejam as moelas, ossos, pica-pau, raia de pitau entre muitos outros pitéus, acompanhados de um bom vinho do lavrador. Nos restaurantes destacam-se os pratos típicos como a chanfana, o leitão assado à moda da Bairrada ou o arroz de lampreia. Já a doçaria tem raízes profundas, em grande parte por influência dos vários conventos e mosteiros que existiram na cidade. Exemplos disso são os Pastéis de Santa Clara ou as Arrufadas, bolo com selo de certificação regional. 

Coimbra é, hoje, um polo dinamizador da Região Centro. O seu contexto social, histórico e patrimonial, aliados a uma oferta cultural de reconhecida qualidade, refletem o contínuo processo de mudança que marca a sua Candidatura a Capital Europeia da Cultura em 2027.