Góis, Entre o Rio e a Montanha

O Concelho de Góis possui uma vasta área territorial estimada em 276Km2, de enorme riqueza e biodiversidade. A sua vida social e económica cruza-se com a forma de implantação e desenvolvimento dos aglomerados tradicionais existentes, apresentando o território formas de povoamento disperso, como atestam as 190 povoações existentes distribuídas pelas suas 4 freguesias: Alvares, União de Freguesias de Cadafaz e Colmeal, Góis e Vila Nova do Ceira.

Góis é “rasgado” pelo Vale do Rio Ceira, sendo delimitado e separado da Beira Serra Interior pelas Serras da Lousã e Açor. Marcado por uma geografia própria, muito acidentada e por uma dimensão essencialmente micro-regional e local, onde perduram as heranças históricas que definem o tipo de ocupação, cujo modo de organização do seu território assume uma forte componente rural.

Considerado a Capital do Ceira, o concelho apresenta um imponente enquadramento paisagístico, dominado por altas e majestosas serras, destacando-se a Serra do Penedo, com 1043m de altitude, um imponente afloramento quartzítico do período do Ordovício, vulgarmente designado por Penedos de Góis.

Entre o rio e a montanha predominam praias fluviais cuja pureza das suas águas proporcionam irresistíveis e refrescantes banhos. A paisagem do território é ornamentada de casas brancas e pelas aldeias do xisto, inseridas na Rede das Aldeias do Xisto (Aigra Nova, Aigra Velha, Comareira e Pena), sendo igualmente cruzado pela mítica EN2.

Góis disponibiliza toda uma panóplia de ofertas turísticas, compreendidas entre o paraíso natural e riqueza cultural, monumentos, arqueologia, história, gastronomia, artesanato, folclore, tradição e o “saber fazer” da população local.