A CIDADE MAIS ALTA!

Cidade fortaleza e bastião da fronteira, a Guarda é a cidade mais alta de Portugal, edificada numa cota média um pouco acima dos mil metros de altitude. Com uma fundação consagrada pelo rei D. Sancho I, que lhe atribui o seu primeiro foral a 27 de Novembro de 1199, a Guarda é herdeira de um património cultural rico e único, de mais de 800 anos de História.

Da Torre de Menagem, símbolo máximo de toda a estrutura defensiva, pode usufruir-se de uma vista sem par sobre a paisagem circundante. A Sé Catedral, verdadeiro ícone da Cidade construída entre os séculos XIV e XVI, tem qualidades construtivas e estéticas que a impõem como um dos monumentos maiores de toda a história da arquitetura portuguesa. Nas ruas do Centro Histórico podem descobrir-se marcas da convivência ancestral entre cristãos e judeus, numa das mais antigas e importantes judiarias da Beira Interior.

Convidamo-lo a conhecer a beleza do concelho através da Rede de Percursos Pedestres. São 52 quilómetros, repartidos por 5 itinerários, nos quais poderá descobrir rios e vales aprazíveis, aventurar-se por trilhos ancestrais que o levarão ao cume das serras e explorar aldeias, que conservam as tradições mais veneráveis dos povos da Beira Alta.

O rico artesanato do concelho, espelha a tradição e saberes dos mestres, em artefatos como o Cobertor de Papa ou as Campainhas de Maçainhas.

A gastronomia caracteriza-se como Forte e Farta. São exemplo disso o caldo de grão, a sopa de castanha, o bacalhau à Conde da Guarda. As cerejas, maçãs, e pêssegos, ainda hoje produzidas nos vales possuem um sabor inigualável. Para terminar, sobremesas deliciosas, como o paparote, o requeijão com doce de abóbora e o tão afamado e delicioso Queijo da Serra.

Símbolo e herdeira do diálogo entre culturas e religiões e espaço privilegiado de encontro, a Guarda é uma cidade culturalmente rica, onde a autenticidade e a tradição se aliam à criatividade. A oferta cultural é de qualidade e diversificada com espetáculos, exposições e atividades de animação não apenas no Teatro, Museu e Biblioteca, mas também nas praças e ruas da cidade, que transformam a toda a cidade num enorme palco cultural.