Situada no setor sudoeste da serra da Estrela, Seia assume-se como a porta de entrada na mais imponente montanha portuguesa, um local privilegiado de encontro com a natureza no seu estado mais puro.
A diversidade e beleza paisagística únicas, o vasto património cultural e gastronómico fazem de Seia um local para visitar nas quatro estações do ano.
Os dias amenos e longos, da Primavera e Verão, são os que melhor permitem desfrutar das atividades ao ar livre, convidando à prática de pedestrianismo, ciclismo e outros desportos de natureza. A este respeito, o território tem ao dispor 150 km de trilhos cicláveis e aproximadamente 160 km de percursos pedestres homologados, por entre uma rede de Caminhos que percorre as ancestrais Aldeias de Montanha, desde o sopé ao topo do continente, e a Grande Rota das Aldeias Históricas (GR22) que atravessa o concelho.
As lagoas da serra e as praias fluviais, entre outras áreas balneares construídas nas ribeiras e rios, de águas puras e cristalinas, são excelentes opções no calor do Verão. As praias de Loriga, encaixada no vale glaciário, e da Lapa dos Dinheiros, na ribeira da Caniça, são interessantes escolhas, pelas suas águas com qualidade de água de ouro e o enquadramento natural.
No Outono, a serra ganha cores quentes e suaves e, no Inverno, a neve transforma a paisagem e cria cenários únicos e de rara beleza. Neste ambiente, a fruição da neve e a prática de desportos de inverno são uma realidade exclusiva em Portugal.
No sopé da montanha, descobrem-se as Aldeias de Montanha, um projeto que proporciona aos visitantes experiências genuínas num contexto de montanha.
No Queijo Serra da Estrela, no Requeijão de Seia, no pão de centeio, na Broa e Bolo Negro de Loriga, nos enchidos e no cabrito serrano, encontram-se alguns dos melhores Sabores de Montanha. Indissociável da gastronomia de montanha está o Vinho do Dão, produzido nas encostas da serra da Estrela.
Evidencia-se, igualmente, a rede de equipamentos museológicos e culturais, como o Museu do Brinquedo, o Museu Natural da Electricidade e o Museu do Pão. Numa vertente mais interpretativa, o CISE – Centro Interpretação da Serra da Estrela constitui ponto de partida para a descoberta da serra da Estrela e uma referência para quem pretende conhecer a herança natural e cultural da mais alta montanha de Portugal Continental.