Sinopse:
A pintura supera a fotografia, proporciona uma realidade mais profunda, preserva algo mais que um nome, ou uma identidade. A expressão dos rostos protagoniza o sentido da pintura. O artista tenta restituir à imagem visível, o invisível de uma personalidade, num complexo conjunto de sinais como a força de um olhar, a passagem de um tempo que contem vivências, afetos, memórias.
“Não procuro a beleza, mas a natureza do estado humano. Pintura de rostos que ocupam a tela inteira, apenas rostos com o olhar como elemento central. Olhos serenos e contemplativos forçam o espectador a entrar na imagem.
Mas um retrato também fala da artista, que ao criar uma linguagem plástica confere à obra uma identidade própria, transmitindo emoção e alma aos rostos representados – a sua, a minha espiritualidade.
Assim, presto homenagem a estes autores, e a muitos outros, que contribuíram para o enriquecimento da cultura e do pensamento. Símbolos culturais que revelam a sua amplitude universal.”
Do Carmo Vieira


Nota Biográfica:
Do Carmo Vieira – Vila Pouca de Aguiar, 1956. Vive em Gondomar.
Licenciada em Artes Plásticas – Pintura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, onde frequentou o Mestrado em Pintura. Curso Artístico, Escola Artística Soares dos Reis.
A pintura é a forma de expressão da sua arte. Tem abordado outras técnicas, como a gravura e livros de artista.
Tem participado em várias exposições coletivas e individuais. Representada na Fundação Escultor José Rodrigues, Porto; no Espaço Miguel Torga, S. Martinho de Anta; Museu Municipal de Espinho, coleções particulares.

De Terça a Sábado das 10h30 às 16h30
Visite-nos!