Habitar como caminhar. Habitar como respirar… Inspirando profundamente sabendo que logo em seguida se expirará todo o ar… sabendo que será necessário reservar e renovar um tempo de suspensão. Habitar o tempo curto como quem conscientemente se vê a atravessar um biombo. A exposição de Marzia Bruno encontra-nos nesses segundos que florescem rápidos, enraizados nas experiências de memórias associadas subtilmente a objetos e a sensações momentâneas. Muito fugazes, são “territórios afetivos e sensitivos” que mutuamente se embriagam e se deslocam no tempo, levemente, como pétalas soltas.

Os vazios da casa/abrigo são provocados pela escultora para iniciarem diálogos com as obras da série “Cose di Casa”: amadurecem nostalgias – todo o espaço à nossa volta se desenha como interrogações. Os momentos entrelaçam-se, alguns com ímpeto fugidio, outros com o desejo de permanecer. As memórias sobrepõem-se em transparências e criam aspirações de baloiços apoiados em ramos de árvores indefinidas.

O branco, que lentamente tudo une, deixa vogar o aroma das sombras dos percursos e anos vividos em Itália e a eles acorrem os tons e calor de Cabo Verde, a luminosidade e aragem de Aveiro e os reflexos do rio, do Porto, espaços permanente registados nas histórias de criação de Marzia Bruno.
Sentindo o corpo em viagem, vivendo os lugares como quem atravessa uma moldura (ou um biombo), a escultora vai ao encontro de “campos” de poesia que transforma em trechos de apontamentos de memórias, discretos cenários que a acompanham numa itinerância assumida. Contudo, como o ar que se desloca, tudo se transforma: os objetos-registos de acontecimentos reorganizam-se, transferem sensações entre si. Por vezes, alternam identidades.

Ter a dom 10h00 – 12h30 | 13h30 – 18h00 Museu Arte NovaCMA

Museu Arte Nova | Rua Dr. Barbosa de Magalhães nº 10

3810-119 Aveiro

Tel: (+351) 234 406 485 | Email: museucidade@cm-aveiro.pt 

EVENTOS RELACIONADOS