O Festival Altitudes já vai dispensando apresentações. A marcar presença no verão da serra há mais de 20 anos, é hoje um dos festivais mais relevantes do panorama nacional.

A iniciativa tem como base o teatro, mas há muito que é um festival multidisciplinar, que celebra as artes e a criatividade. E assim continuará a ser, de forma cada vez mais acentuada e alargada, uma vez que esta é a única oportunidade, no ano, para assistir, na aldeia de Campo Benfeito, a este tipo de manifestações artísticas.


O Teatro do Montemuro iniciou a sua atividade em 1990, trabalhando de uma forma experimental até 1995. A ausência de actividades culturais, a falta de oportunidades e o inconformismo levaram um grupo de jovens a investir a sua energia num projeto que lhes permitiria fixarem-se na sua terra. Hoje a pequena aldeia de Campo Benfeito, encravada entre os montes da Serra do Montemuro, tornou-se um local de referência na criação, difusão e programação artística.


O Teatro do Montemuro assume-se por obrigação e vocação uma companhia itinerante, que investe os seus recursos humanos e técnicos na circulação das suas produções artísticas. A companhia continua a apostar na criação de textos originais contemporâneos, inspirando-se nas mais variadas situações da atualidade. Tudo acontece num processo colectivo que une autores, encenadores, cenógrafos, actores, músicos e é desta forma democrática que nascem os espectáculos. A identidade artística foi sendo criada com base nas vivências rurais, mas principalmente através da partilha humana que desde o inicio a companhia promove.

Nota: Texto retirado do site https://festivalaltitudes.wordpress.com/