Os tempos que correm levam ao isolamento físico, num clima de medo e angústia próprio de situações em que cada um pensa sobretudo em si próprio. É nestas alturas que parece importante que, habitando cada um o seu espaço, nos mantenhamos solidários através daquilo que nos une. E, numa companhia de teatro, o que nos une entre nós e o que nos une ao público é, naturalmente, a poesia, é o teatro e são as palavras.

Para responder a este tempo de crise e separação, a Cooperativa Bonifrates lançou uma iniciativa através do seu Facebook para manter o contacto entre todos os que gostam da poesia e do teatro e que tem como objetivo despoletar um vírus criativo que responda à inação a que o tempo nos convida. Em cada dia será publicado em vídeo e audio um poema, dito, para começar, por membros da Bonifrates. A escolha recairá em textos luminosos, com esperança e um espírito positivo, que mostrem que a cultura é uma festa, mesmo em tempos de escuridão.

O projeto tem um nome: “Há palavras que nos tocam”. Trata-se de um mote inspirado nos versos “Há palavras que nos beijam”, de um poema de O’Neill com que João Paulo Janicas, padrinho desta ideia, dá início ao projeto.

Outras iniciativas se poderão seguir com o mesmo espírito poético e solidário.

Convidam-se todas e todos a visitar o facebook da Bonifrates.

Pelas palavras, propõe a Cooperativa Bonifrates que as pessoas continuem a tocar-se, a sentir-se e a beijar-se nesta inquietação e nesta lucidez que marcam a aventura sempre incerta da existência, mas sempre solidária na comunhão com os outros. Contra o vírus da doença, do isolamento e da inação, o vírus-antídoto da poesia!

A Direção da Cooperativa Bonifrates