No âmbito das comemorações dos 250 anos da Cidade de Pinhel, o Município de Pinhel vai promover os Jogos Florais 2020, um estímulo à escrita e à expressão plástica criativa.

Origem dos Jogos Florais

  • Com origem na civilização Romana, os Jogos Florais eram uma festividade em honra de Flora, Deusa da primavera, das flores, dos cereais, da vinha e das árvores frutíferas. Na primavera, mais concretamente entre o final de abril e meados do mês de maio do calendário romano, as cortesãs dançavam numa competição em que a vencedora era coroada com flores.
  • Mais tarde, no século XIII, a celebração dos jogos florais surgiu também como concurso literário, tendo Luís XIV instituído a Academia dos Jogos Florais para manter as tradições culturais francesas e promover a criação literária.
  • Em Portugal, o aparecimento dos Jogos Florais aconteceu em 1936, por iniciativa da Emissora Nacional. Estes concursos literários gozaram de grande visibilidade durante o período do Estado Novo, sendo as obras vencedoras lidas durante as emissões radiofónicas da Emissora Nacional.

História dos Jogos Florais em Pinhel

  • Há 50 anos, concretamente em 1970, por ocasião da comemoração do bicentenário da elevação de Pinhel a Cidade, a população foi desafiada a participar através da escrita e da expressão plástica, nos “Jogos Florais” da cidade de Pinhel.
  • Disso mesmo deu conta Ilídio da Silva Marta, na icónica obra Pinhel Falcão: “Fizeram-se os “Jogos Florais”. De todos os pontos do país vieram poetas e trovadores às “CORTES POÉTICAS” deste FALCÃO SEMPRE REAL, naquele cair de Agosto de 1970.”
  • No ano em que Pinhel celebra os 250 anos da sua elevação à categoria de Cidade, os 250 anos da criação da Diocese de Pinhel, e também no ano em que Pinhel assume o título de Cidade do Vinho (agora 2020- 2021), o Município de Pinhel entendeu por bem reeditar os Jogos Florais enquanto concurso artístico nas modalidades de Expressão Literária e Expressão Plástica.