Caia em tentação no Centro de Portugal. Visite esta rica região e vislumbre o que de melhor a mesma tem para oferecer a quem a visita: os seus pratos típicos, dos mais apreciados do país, os seus vinhos nobres de aromas e sabores muito peculiares e os doces regionais, simplesmente divinais.

Por isso, apure os seus sentidos e delicie-se com a gastronomia da região, representada pelos seus pratos, produtos e doçaria típica, bem como com o néctar dos deuses, o vinho, nas suas diferentes variantes.

. RIA DE AVEIRO

Comecemos este roteiro gastronómico pela Ria de Aveiro. À sua mesa não poderá faltar o melhor do pescado nacional. Falamos de especialidades como a Caldeirada de Enguias ou de peixes variados, assim como as afamadas Ostras e Espetadas de Mexilhão.

Não é coincidência que Ílhavo seja considerada a capital nacional do bacalhau, um dos alimentos mais tradicionais da gastronomia portuguesa. É que estas são as gentes que sabem confecionar este peixe, de características únicas, como ninguém: existe uma grande variedade de especialidades, onde o Bacalhau de Cura Tradicional Portuguesa ocupa um lugar especial. Há inúmeros pratos de bacalhau, que cultivam a tradição de pesca nos mares longínquos, tradições essas agora promovidas e preservadas pela Confraria Gastronómica do Bacalhau.

É certo que o mar esconde muitos segredos, mas nem só de pescado vive esta região. Arrisque também nos petiscos à base de carne Marinhoa DOP, sem esquecer a suculenta Vitela Assada à moda de Sever do Vouga. A acompanhar os petiscos, sugerimos que experimente os vários vinhos regionais de qualidade superior, como os da Bairrada – e aqui fazemos uma nota especial: experimente o espumante desta região e deixe-se levar pelos sabores que encontrará em cada golo. Para terminar, o Licor de Alguidar de Aveiro, um néctar doce, que já é produzido há mais de cem anos.

. VISEU DÃO LAFÕES

A gastronomia de Viseu Dão Lafões é uma das atrações especiais da região do Centro. Antes de se sentar à mesa, deixe que os montes e os vales, assim como o charme rústico das aldeias envolvidas pela serra, lhe abram o apetite. Iguarias como o Rancho à moda de Viseu, ex libris da cidade, ou o Arroz de Carqueja, especialidade regional, são algumas das opções a experimentar.

Mas como gostamos de partilhar os segredos menos conhecidos, fica aqui a sugestão: procure pela Vitela Assada de Lafões e pelo Entrecosto com Chouriço e Grelos.

Destacamos também os Vinhos do Dão: maduros, de aromas mais frutados, são ideais para acompanhar os petiscos ou apreciar o fim de um dia bem vivido, olhando a paisagem ímpar desta região. Duas sugestões mais leves, mas não menos importantes, são a Maçã da Beira Alta e a Maçã Bravo de Esmolfe, dois produtos certificados exclusivamente portugueses e muito suculentos, garantimos.

. REGIÃO DE LEIRIA

Região de Leiria é uma terra que satisfaz todos os gostos. Já Eça de Queiroz, em várias obras literárias, fazia referência a conhecidos pitéus da região: é exemplo disso a Sopa Seca, que surge mencionada em “A Ilustre Casa de Ramirez”. Outras especialidades que merecem a sua atenção são o Tachadéu, a Cabidela Serrana, o Arroz de Serrabulho, o cabrito assado no forno, as migas com couves e tantos outros sabores regionais.

Desperte o seu paladar com os sabores extraordinários das Brisas do Liz, recomendadas pelo saber tradicional dos leirienses. Prove o Leitão Boa Vista, o melhor leitão, produzido e assado na Região de Leiria. Deguste a Morcela de Arroz, em que a tradição é tempero e o arroz marca a identidade. Em cada iguaria, desvende a história e autenticidade que transformam cada sabor numa celebração singular. Visite “É de Leiria”.

Se é amante de queijo, procure pelos tradicionais queijinhos de azeite, e acompanhe com Torresmos, um dos protagonistas da gastronomia regional. É um belíssimo complemento para qualquer refeição.

No final do repasto, deixe-se envolver pelo sabor suave e aveludado de um licor de Chícharo D’ Alvaiázere, que ao longo dos anos tem granjeado o reconhecimento dos principais palcos nacionais e internacionais. Em Santa Catarina da Serra, concelho de Leiria, também o chícharo é rei.

Na doçaria da Batalha destacam-se os bolos de ferradura, de perna ou de palma, as cavacas do Reguengo do Fetal e os pudins da Batalha. As cavacas são crocantes devido à sua cobertura branca de açúcar. Os bolos de ferradura, de perna ou de palma são os bolos típicos das festas e das romarias do concelho. Perfumados com raspa de limão, canela e erva-doce, surpreendem pela simplicidade e pelo sabor. Os pudins da Batalha, de ovos e amêndoa, requintados e agradavelmente saborosos, são uma sobremesa do início dos anos 30 do Século XX.

. SERRA DA ESTRELA

Queijo Serra da Estrela, é um manjar obrigatório. Produzida na região montanhosa da serra com leite cru de ovelha da raça Bordaleira da Serra da Estrela ou Churra Mondegueira, esta iguaria detém a distinção DOP (Denominação de Origem Protegida) na União Europeia.

É nesta região, uma das mais verdes do país, que em comunhão com a natureza e a arte de bem receber, surgem alguns dos petiscos mais saborosos do Centro de Portugal. Aqui, a gastronomia é generosa e os sabores serranos aquecem a alma: experimente colocar o Queijo Serra da Estrela sobre uma fatia de Pão de Seia ou recorra à tradição “à pastor” e desfrute da textura amanteigada sobre um pedaço de broa de milho portuguesa. Utilize marmelada, considerada o acompanhamento oficial do queijo Serra da Estrela. Os enchidos também são protagonistas por aqui: arrisque na morcela de Seia tradicional, no lombo serrano e, para os mais corajosos, porque não experimentar a chouriça picante? E, já que estamos pelos enchidos, também podemos matar a fome com o famoso borrego assado, tão característico nesta região.

Ginja produzida na Serra da Estrela é também um dos ex libris da região, assim como o Licor de Mirtilo, de sabor intenso e aconchegante, produzido a partir de mirtilos colhidos nas encostas da serra, ou o Licor de cereja do Fundão, que já ganhou prémios pela sua qualidade.

. REGIÃO DE COIMBRA

Das águas do MondegoRegião de Coimbra, vem a lampreia, o “bicho feio”, como é apelidada a especialidade que não gera consensos. Costuma dizer-se que não há meio-termo: ou se adora, ou não se suporta o sabor. Se gosta de se aventurar em pratos únicos, não deixe de experimentar o Arroz de Lampreia, que tem honras de Festival Gastronómico, em Penacova e Montemor-o-Velho.

Nos concelhos de Cantanhede e Mira, é através da Arte Xávega, que poderá degustar do mais fresco peixe, desde o Robalo, à Sardinha na Telha, passando pelas Caldeiradas. Como doçaria destacam-se o Bolo de Ançã e o bolo de Páscoa de Mira.

Na Figueira da Foz, a Sopa de Peixe, o Camarão da Costa, a Petinga de Frigideira, a Sardinha Assada, o Arroz de Sardinha e a Raia de Pitau, são especialidades que também não vai querer perder. A doçaria é igualmente famosa, com as Brisas da Figueira. Qualquer que seja a sua opção será sem dúvida, uma agradável e fresca surpresa!

São bastantes as opções de pratos de carne a que pode recorrer: falamos da Chanfana de Cabrito ou Borrego, assada na tradicional caçoila de barro preto e do famoso Leitão da Bairrada, considerado uma das sete maravilhas gastronómicas de Portugal.

Em Mortágua, a famosa Lampantana (confecionada com carne de ovelha) é, desde tempos imemoriais, uma das especialidades gastronómicas deste concelho, não esquecendo o famoso Bolo de Cornos, por altura da Páscoa. A Chanfana (carne de cabra coberta com vinho tinto), assada em caçoila de barro e em forno de lenha, é prato de renome nos concelhos de Arganil, Condeixa-a-Nova, Góis, Lousã, Miranda do Corvo e Vila Nova de Poiares. É tal a sua importância que, nos concelhos de Miranda do Corvo e Vila Nova de Poiares, foram criadas em sua defesa e promoção a Real Confraria da Cabra Velha e a Confraria da Chanfana. As Sopas de Casamento e os Negalhos são os pratos mais apreciados no concelho de Miranda do Corvo, e em Vila Nova de Poiares, para além da Chanfana, o Arroz de Bucho e os Negalhos fazem as delícias dos visitantes.

Especialidades como a Tibornada, o Bucho Recheado à Moda de Folques e o Bucho de Vila Cova de Alva podem ser apreciados em Arganil. Em Góis, delicie-se com a Sopa de Castanhas, o Queijo de Cabra, os Torresmos e o Cabrito assado no Forno de lenha, este último também prato de excelência em Condeixa-a-Nova.

No concelho da Lousã as castanhas e as migas acompanham os mais deliciosos pratos: Cabrito, Tibornada e Sardinhas Albardadas com Papas Laberças.

Qualquer que seja a sua opção gastronómica, em Tábua, o Cabrito Assado ou o Bucho à moda de Tábua, os enchidos de fumeiro ou o Queijo Serra da Estrela do concelho de Oliveira do Hospital serão, certamente, uma agradável surpresa.

Nas sobremesas, é um desfilar de doces sabores: Bolo da Várzea, Arroz Doce, Tigelada, Filhós de Abóbora, Filhós de Mel, Sequilhos, Farta-Rapazes, Poiaritos, Serranitos, Talasnicos e Beirões, entre outros!

Para terminar em beleza, nada como o Mel da Serra da Lousã, de Denominação de Origem Protegida e, para brindar, um cálice de Licor Beirão, uma Aguardente de Medronho ou Aguardente de Mel, produzidas em alguns concelhos desta região.

Todos os pratos podem ser acompanhados com vinhos tintos ou brancos da Bairrada!

Prepare o seu paladar para o marcante vinho da Bairrada, território de terras férteis e castas de alta qualidade, como é o caso da casta Baga, se preferir vinho tinto, ou da casta Bical, se o vinho branco for mais do seu agrado. Para complementar, acompanhe o vinho com pedaços de Queijo Rabaçal, que detém o título DOP (Denominação de Origem Protegida), e um pouco de mel da Serra da Lousã, duas estrelas da região. O território de Coimbra oferece ainda várias opções de Cerveja Artesanal e Licor de Medronho.

. MÉDIO TEJO

Chegámos ao coração de Portugal: eis uma das regiões com mais encantos do centro do país, o Médio Tejo. É aqui que se sente o peso da herança histórica dos Templários. Mas como nem só de património é feita uma região, exploremos mais além.

Os sabores são genuínos e acomodam todas as preferências: opte por começar pelos enchidos e, claro, pelo Presunto de Mação que serve de belíssima entrada para os magníficos pratos típicos de peixe do rio e de caça. Há mais ainda: sugerimos as Migas de Bacalhau, o Feijão com Couve de Alcanena ou a Açorda de Ovas de Constância.
Na Sertã, destaque para o Bucho Recheado e também para os maranhos. Sente-se à mesa, mas não se esqueça que do rio também surgem várias iguarias a considerar: em Abrantes, pode degustar a Açorda de Sável da Lampreia, do Achigã Frito e Grelhado, e das Enguias, que podem ser confecionadas de várias formas: fritas, grelhadas ou em ensopado.

A escolha é imensa, mas as bebidas que preservam a identidade da região não podem ser colocadas de lado: acompanhe com um copo de Vinho Medieval de Ourém ou Vinho do Mouchão.

. BEIRA BAIXA

Por fim, a Beira Baixa, onde os produtos vêm da terra e são preparados com a mestria da sabedoria antiga. 

Paragem obrigatória em Castelo Branco para degustar as famosas Empadas. Na Póvoa de Rio de Moinhos, pergunte pelos famosos enchidos, como a morcela, o chouriço, a farinheira. Não perca as Migas de Batata com Tomate, em Ninho do Açor, ou as Migas de Peixe, em Malpica do Tejo. Não deixe de se deleitar com o Cabrito Estonado, os Maranhos e o Bucho Recheado, o cabrito e o borrego assados em forno de lenha e as carnes de caça. Em Oleiros, aproveite para provar o Cabrito Estonado de Oleiros, uma especialidade única.

Para opções mais leves, pode optar por pedir o Queijo de Castelo Branco ou o Queijo Amarelo da Beira Baixa. Se estiver a sentir-se com vontade de arriscar, tente o Queijo Picante da Beira Baixa

. OESTE

São tantas as surpresas ao longo da costa do Oeste: o cheiro a oceano acompanha-nos ao longo desta viagem. Os sabores que vêm do mar merecem ser conhecidos: petiscos como as Enguias e as Amêijoas da Lagoa de Óbidos, e ainda os mariscos de Porto das Barcas. As iguarias confecionadas à base de carne ocupam também um lugar especial: deguste o melhor da região como o Cabrito no Forno as múltiplas variações da codorniz ou o Coelho Guisado com arroz.

É de Alcobaça que vem o típico Frango na Púcara, servido aos pedaços com arroz e batata frita, um petisco para saciar o apetite a qualquer hora. E no final da refeição, porque não trincar uma suculenta Maçã de Alcobaça, ou uma Pêra Rocha do Oeste? Pode consumi-los tanto ao natural como transformados em doçaria regional.

Numa região de néctares inolvidáveis, a receita é antiga e começou a ser produzida nesta região em 1930. Falamos do Licor de Ginja de Alcobaça  (há quem diga que está ao nível das aguardentes dos nossos vizinhos franceses). Outro tesouro que não se pode esquecer: referimo-nos a um famoso licor português, a Ginja de Óbidos. Peça uma “Ginjinha”. Em Torres Vedras, experimente o vinho, é que o município é casa de uma das mais extensas áreas vinícolas do país.

E, já que está por esta região, não deixe de provar a famosa Aguardente DOC da Lourinhã, local icónico quando se fala nesta bebida.
A produção dessa aguardente é resultado da seleção criteriosa de ingredientes, do uso de tecnologia avançada e da habilidade dos produtores locais, que seguem rigorosamente as normas e tradições do processo de produção. O seu envelhecimento efetua-se exclusivamente em barris de carvalho com capacidade de até 800 litros. O seu sabor é suave e complexo, com notas distintas de madeira e especiarias, e a sua textura aveludada e elegante.

Independentemente das suas opções, leve o seu tempo, não tenha pressas. Afinal, uma viagem pelo Centro de Portugal é o pretexto ideal para conhecer toda a região e ir saboreando a sua gastronomia e vinhos.

Aguardente DOC Lourinhã

Comissões Vitivinícolas Regionais do Centro

As Comissões Vitivinícolas Regionais (CVR) são entidades que representam os interesses dos agentes económicos envolvidos na produção e comercialização dos vinhos (ou outros produtos vínicos) que possuem a Denominação de Origem (DO), Denominação de Origem Controlada (DOC) ou a Indicação Geográfica (IG).

Comissão Vitivinícola Regional da Bairrada (CVRB)
www.cvbairrada.pt
Facebook CVRBI

Comissão Vitivinícola Regional da Beira Interior (CVRBI)
www.cvrbi.pt
https://www.facebook.com/CVRDAO
https://www.instagram.com/beirainteriorwines/?hl=pt

Comissão Vitivinícola Regional do Dão (CVR Dão)
www.cvrdao.pt
www.facebook.com/CVRDAO
https://www.instagram.com/daowines
https://www.youtube.com/user/MarketingCVRDao

Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa (CRVLisboa)
www.vinhosdelisboa.com
www.facebook.com/oficialvinhosdelisboa

Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVR Tejo)
www.cvrtejo.pt
www.facebook.com/Vinhosdotejo.Tejowines
www.instagram.com/vinhosdo_tejo

Independentemente das suas opções, leve o seu tempo, não tenha pressas. Afinal, uma viagem pelo Centro de Portugal é o pretexto ideal para conhecer toda a região e ir saboreando a sua gastronomia e vinhos.

Artigo em permanente atualização.
Agradecemos todos os contributos ou sugestões para: comunicacao@turismodocentro.pt