A célebre cidade romana Civitas Aegitidanorum (documentada desde o ano 16 a.C.), é referência obrigatória de todos os roteiros arqueológicos de Portugal.

Mas a História de Idanha-a-Velha está repleta de vestígios de outros tempos. Visigodos e árabes, guerreiros medievais, cavaleiros do Templo e “senhores da terra” aqui deixaram as suas marcas.
Do vasto património existente, merece destaque a Catedral visigótica (primitivamente erigida sobre um templo paleocristão), com um baptistério de piscina no exterior, continua a impressionar pela dimensão e pela sua riqueza. Hoje, acolhe um dos conjuntos epigráficos mais importantes referentes ao período da permanência romana na Península.
As Muralhas e Torre de Menagem (com trechos romanos); foram reconstruídas na época medieval, abraçando o povoado com vista à protecção e segurança dos seus habitantes; a torre quadrangular assenta no pódio de um templo romano).
Porta e Ponte Romana do Pônsul (com destaque para pormenores da construção); Pelourinho (século XVI); Capela de S. Dâmaso (século XVIII, com uma fachada sóbria); Museu Egitaniense (repartido entre a Catedral e a Capela de S. Dâmaso).