Com origem provável no séc. XVII, passou posteriormente a ser propriedade da família Coelho do Amaral. Em 1937 passou a pertender por herança ao arquiteto Francisco Amaral.