O Castelo de Coimbra, hoje desaparecido, situava-se na atual Praça D. Dinis. Existente no séc. XI, durante o governo de D. Sesnando, o castelo erade dimensões acanhadas e planta irregular. Sobreviveu até ao séc. XVIII quando a campanha de obras do Observatório Astronómico Pombalino praticamente o destruiu. O Castelo terá servido de refúgio a D. Teresa, em 1116 por ocasião do cerco de Ali Bem Yusuf e terá sido dotado de Torre de Menagem no reinado de D. Afonso Henriques. Na construção da nova cidade universitária na década de 40, todos os poucos vestígios que ainda existiam do castelo foram definitivamente eliminados. A Muralha da cidade foi edificada no período tardo-romano, tendo sofrido obras de conservação sob o domínio visigótico, islâmico ou cristão. Correndo ao longo de 1800 metros e circunscrevendo quase 22 hectares, a muralha contava com cinco portas e um considerável número de torres, com especial destaque para a Torre de Almedina.