Localmente mais conhecida por “Casa da Moura”, em resultado do imaginário popular que atribui os monumentos arqueológicos aos mouros, este monumento megalítico é composto de câmara funerária de planta poligonal composta de nove esteios (o maior dos quais correspondente ao de cabeceira, onde existiram pinturas), ostentando ainda a laje de cobertura, e um longo corredor.