De origem remota, foi alvo de reestruturação nos séc. XVIII e XIX, conferindo-lhe traços do barroco e neoclássico. No seu interior apresenta retábulos laterais em talha dourada e pinturas em pespectiva, destacam-se a das chaves de São Pedro.