Com plano e baixos-relevos para o interior dos quatro cubelos, ou capelas, da autoria de João de Ruão. A sua estrutura, evocativa da Fonte da Vida, é uma das primeiras obras arquitectónicas inteiramente renascentistas feitas em Portugal.