Possui um notável conjunto de arte tumular Portuguesa dos sécs. XV e XVI. Capela-mor Manuelina de Diogo de Castilho (1522/1523) com retábulo renascentista de Nicolau de Chanterenne. Capela dos Reis Magos de 1547, obra-prima do Maneirismo Coimbrão.

Com a extinção das ordens religiosas em 1834, o convento é vendido a particulares, tendo sido destruído por um incêndio em 1860, com exceção da igreja e casa da botica. Com a aquisição pela Casa de Bragança o convento é recuperado em meados do séc. XX. Em 1976 o Palácio foi adquirido pelo Estado Português à Fundação da Casa de Bragança e posteriormente cedido à Universidade de Coimbra, em 1981, para a realização de atividades científicas, culturais e sociais.

Horário:
abril a setembro: 09h00-19h00
outubro a março: 09h00-16h00
Visitas sob marcação prévia.