Enquadrada numa paisagem tranquila e deslumbrante, servia de passagem aos comboios a vapor que circulavam na Linha do Vouga, até ao seu encerramento em 1990. É um dos pontos mais conhecidos da magnífica paisagem ribeirinha do Vouga e local para a prática de desportos de aventura.

Um interessante trabalho da engenharia ferroviária, esta antiga obra de arte da linha do caminho-de-ferro do Vale do Vouga continua a marcar a paisagem ribeirinha, pela sua imponência. Construída em alvenaria, com 35 metros de altura, um grande arco central com 55 metros de vão e mais 11 pequenos arcos. O projecto desta arrojada obra de arte foi atribuído ao engenheiro francês Sejourné e a direcção da sua construção ao Eng.º. Mercier, da mesma nacionalidade. O fecho do arco central mede somente 90 cm de espessura!
A ciclovia, em que foi transformado o traçado da desactivada via-férrea, tem no tabuleiro desta ponte um dos seus pontos mais espectaculares.