ORIGEM E LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

Fátima, a maior freguesia do concelho de Ourém, distrito de Santarém, é um importante centro de peregrinação para o mundo católico.
Situa-se a cerca de 11 km de Ourém, 25 km de Leiria, 120 km de Lisboa, 180 km do Porto e está aproximadamente a 300 metros acima do nível do mar, em pleno maciço calcário estremenho. As formações das Serras de Aire e Candeeiros conferem-lhe uma paisagem árida, um solo rochoso e calcário onde só a azinheira, o carvalho português, o medronheiro, o sanguinho ou zanguinho, a figueira e a oliveira, conseguem resistir às condições adversas que o clima e território apresentam.
O nome topográfico Fátima tem origem moura pois Fátima era o nome da filha de Maomé, o grande profeta do Islão. Hoje, Fátima indica a povoação central, sede da freguesia do mesmo nome que ainda hoje conserva reminiscências da sua ruralidade em cisternas, moinhos de vento e outros elementos da arquitectura feita de pedra e cal, como se pode apreciar nas aldeias da Aljustrel, Eira da Pedra, Amoreira, Giesteira, Boleiros, Ramila, Gaiola, Pedreira, Casal Farto, Maxieira e Moita, entre outras, todas dignas de visita.
A Freguesia de Fátima foi fundada em 1568, após a sua desagregação da Colegiada de Ourém.
Até 1917, Fátima era uma aldeia desconhecida que nasceu num descampado, voltada para a pastorícia e para a agricultura de sequeiro. Foram os marcantes fenómenos religiosos das Aparições de Nossa Senhora aos três Pastorinhos que desencadearam a fixação de gentes que enveredaram pelo comércio, restauração e hotelaria, em resposta às solicitações dos peregrinos, abandonando a tradicional agricultura de subsistência em proveito dos novos empregos emergentes.
Fátima foi elevada a vila em 1977 e a cidade em 1997 e tem actualmente cerca de 15 000 habitantes. Serve os residentes com todos equipamentos sociais próprios de uma cidade, mas também os turistas e peregrinos, com alojamento e restauração de qualidade, museus e lojas, e uma excelente rede viária, em que a A1 é a principal porta de entrada.
Latitude: 39°62’96.39N
Longitude: 8°67’58.55W

 

HISTÓRIA DE UM LUGAR CHAMADO COVA DA IRIA

A cerca de dois quilómetros de Fátima, fica Aljustrel, a pequena aldeia onde nasceram as três crianças, a quem Nossa Senhora apareceu, em 1917.
Próximo de Aljustrel, numa colina onde prevalece o cultivo das oliveiras, ergue-se a Loca do Cabeço, minúsculo aglomerado de rochas onde, uma vez na Primavera e outra no Outono de 1916, o Anjo apareceu aos três Pastorinhos. Uma outra aparição do Anjo, a segunda, ocorreu no verão de 1916, ao fundo do quintal da casa de Lúcia, em cima do poço ali existente. Estas aparições foram um convite à oração e ao sacrifício e sobretudo a preparação dos Pastorinhos para o encontro com Nossa Senhora.
Entre Aljustrel e a Loca do Cabeço, num pequeno vale chamado Valinhos, encontramos o local onde a Virgem apareceu também uma vez aos três Pastorinhos, a 19 de Agosto de 1917.
Mas foi no lugar da Cova da Iria que Nossa Senhora apareceu cinco vezes aos videntes, pela primeira vez a 13 de Maio de 1917, quando apascentavam um rebanho na Cova da Iria.
Lúcia de Jesus, Francisco e Jacinta Marto, de 10, 9 e 7 anos, respectivamente, avistaram sobre uma azinheira uma luz envolvendo uma Senhora que lhes falou pedindo-lhes para rezarem e convidando-os a voltar nos meses seguintes.
Para assinalar o local das Aparições construiu-se um arco de madeira com uma cruz. A pequena árvore a pouco e pouco foi desaparecendo levada por peregrinos.
A 6 de Agosto de 1918, com as esmolas dos fiéis iniciou-se a construção de uma pequena capela em homenagem a Nossa Senhora, feita de pedra e cal coberta de telha com 3,30 metros de comprimento, 2,80 metros de largura e 2,85 metros de altura. Foi a primeira construção do actual recinto de oração.
O Santuário possui hoje um amplo recinto ao ar livre com a área de 86400 m2 que comporta cerca de 300 000 pessoas. O centro da actividade é para além da Capelinha das Aparições, a Basílica cuja primeira pedra foi benzida a 13 de Maio de 1928 pelo Arcebispo de Évora, D. Manuel da Conceição Santos. A Basílica do Santuário de Nossa Senhora de Fátima que mede 70,50 metros de comprimento e 37 de largura, foi totalmente construída com pedra da região. Os 15 altares comemorativos dos 15 Mistérios do Rosário são de mármore de Estremoz.
Na capela lateral esquerda repousam os restos mortais de Jacinta e da Lúcia, e na capela lateral direita repousam os restos mortais de Francisco.
O projecto é da autoria do arquitecto holandês Gerard Van Krieken.
Ainda no recinto do Santuário podemos ver a Azinheira Grande, debaixo da qual os Pastorinhos e os primeiros peregrinos esperavam e rezavam o terço antes de chegar Nossa Senhora, a Basílica da Santíssima Trindade, o monumento ao Sagrado Coração de Jesus, que se ergue no centro da praça, a Cruz Alta no topo sul do recinto, o monumento ao Papa Pio XII e o monumento a D. José Alves Correia da Silva, primeiro Bispo da Diocese de Leiria.
A primeira cerimónia oficial do Bispo de Leiria ocorreu na Cova da Iria em 1927, o lançamento da primeira pedra da Basílica em 1928, a vinda ao Santuário do Papa Paulo VI, em Maio de 1967, as visitas do Papa João Paulo II em 1982, em 1991 e em 2000 aquando da Beatificação dos Pastorinhos Jacinta e Francisco Marto e a vinda do Papa Bento XVI, em 2010.
A 19 de Fevereiro de 2006, assinalou-se a trasladação do corpo da Irmã Lúcia, do Convento Carmelita de Santa Teresa, em Coimbra para a Basílica de Fátima e a 12 de outubro de 2007 é inaugurada a Igreja da Santíssima Trindade, elevada a Basílica, em 2012.
Além do recinto do Santuário onde também é possível ver a Exposição permanente “Fátima Luz e Paz”, merecem uma visita sem pressas, a Casa dos Pastorinhos e o Museu Etnográfico em Aljustrel, o Monumento a Nossa Senhora nos Valinhos, a Loca do Anjo, a Via Sacra e o Calvário Húngaro. Dignos de visita são o Museu de Cera, o Museu da Vida de Cristo, o Museu de Arte Sacra e Etnologia, o Museu Interactivo “O Milagre de Fátima”, o Museu Fátima 1917/Aparições, o Núcleo Museológico da Fundação Francisco e Jacinta Marto – Casa das Candeias e o Museu do Azeite.
Em Fátima, sede de paróquia, pode visitar-se a Igreja Paroquial onde os videntes foram baptizados e o cemitério onde Francisco e Jacinta estiveram sepultados.
Hoje o Santuário de Fátima acolhe em peregrinação e oração muitos milhares de pessoas vindas de todo o mundo.
De Maio a Outubro, nos dias 13 de cada mês e durante todo o ano, cerca de seis milhões de peregrinos percorrem anualmente os caminhos de Fátima para estar mais perto do local onde três pequenos pastores – Jacinta, Francisco e Lúcia – afirmam ter visto a Virgem Maria.
Na simplicidade universal da sua mensagem de Paz, Fátima é um espaço de silêncio e meditação.