Os moinhos de vento marcam a paisagem da região Oeste, recordando tempos em que a sua existência era o ganha-pão de centenas de famílias.

Com a industrialização e com os novos processos de moagem, estas construções no topo das colinas perderam a sua missão principal, mas nunca deixaram de ser locais mágicos, que despertam a curiosidade de quem passa.

Embora muitos tenham ficado em ruínas, nos últimos anos tem sido feito um esforço para que sejam recuperados e atualmente é possível visitá-los, num roteiro que passa por Peniche, Cadaval (Serra de Montejunto), Lourinhã, Torres Vedras, Sobral de Monte Agraço, Arruda dos Vinhos e Alenquer.

Existem atualmente 26 moinhos de vento e seis azenhas recuperados e alguns deles estão mesmo em condições de moer os cereais tal como era habitual há centenas de anos. Outros são lojas de artesanato, museus, alojamentos de turismo rural ou locais de produção de energia elétrica. Mas todos eles mantêm viva a memória de uma tradição que marcou não só a paisagem, mas toda a cultura da região.

Na antiga estrada Óbidos-Peniche pode encontrar um destes moinhos em plenas condições de funcionamento, ver o processo de moagem e adquirir a farinha produzida de forma tradicional.

Na Serra de Montejunto existem vários exemplares que ainda continuam a trabalhar e que, como bónus, oferecem ainda a possibilidade de desfrutar de uma paisagem inesquecível.

Na Lourinhã, concelho com maior presença de moinhos de vento, destaca-se um conjunto situado na vila da Moita dos Ferreiros. Nos Moinhos da Pinhôa a visita pode ser guiada por um moleiro, que certamente partilhará histórias e conhecimentos sobre esta arte tão tradicional.

Em Torres Vedras, o “moinho de várzea”, construído em 1836, é um local de moagem, mas também de fabrico de pão, que pode depois comprar e levar para casa. Para os mais novos, será certamente uma oportunidade única de ter contacto direto com uma realidade que só conhecem através dos livros de histórias. Os moinhos de Catefica, junto ao nó de acesso de Torres Vedras Sul da A8, estão igualmente em ótimo estado de conservação.

O Moinho do Sobral e o Moinho do Céu (Sobral de Monte Agraço) podem ser visitados em rotas pedestres, que permitem também conhecer monumentos e paisagens onde predominam as vinhas. Arruda dos Vinhos tem igualmente vários moinhos tradicionais e em Alenquer o Moinho do Lebre é uma excelente opção de alojamento numa zona rural tranquila.